Carlos Ghosn
Adam Tinworth
Carlos Ghosn se comprometeu a ficar 10 anos sem exercer cargo de direção em empresas listadas em bolsa

O ex-presidente da Nissan e da Renault Carlos Ghosn pagará US$ 1 milhão para encerrar uma ação civil nos Estados Unidos por esconder dos investidores mais de US$ 140 milhões em salários e benefícios pagos pela montadora japonesa.

Veja também: Mulher de Carlos Ghosn diz temer Justiça japonesa e pedirá apoio de Bolsonaro

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (23) pela Comissão de Títulos e Câmbio (SEC, na sigla em inglês), espécie de Comissão de Valores Mobiliários (CVM) dos EUA. Segundo o órgão, a Nissan concordou em pagar US$ 15 milhões .

Além disso, Ghosn, que é acusado no Japão de fraude fiscal , aceitou ficar 10 anos sem exercer cargo de direção em empresas listadas em bolsa. Tanto o executivo quanto a Nissan não admitiram nem negaram as acusações da SEC.

Fiat e Renault se encaixam?

O escândalo fiscal levou à demissão de Ghosn da presidência da Renault, da Nissan e da Mitsubishi, montadoras que formam uma aliança automotiva . Após passar alguns meses na cadeia, o executivo está agora em regime domiciliar no Japão. O brasileiro diz ser vítima de "complô". 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários