Tamanho do texto

Segundo IBGE, deflação dos alimentos ajudou a puxar taxa para baixo no mês

Jair Bolsonaro sorrindo
Marcos Corrêa/PR
Prévia da inflação de junho tem menor taxa para o mês desde 2006, segundo o IBGE

A prévia da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), ficou em 0,06% em junho. A taxa é inferior ao 0,35% de maio e é a menor para o mês de junho desde 2006 (-0,15%), de acordo com divulgação feita nesta terça-feira (25), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também: Governo projeta redução de 40% no preço do gás sem monopólio da Petrobras

Com o resultado da prévia, o IPCA-15 acumula inflação de 1,13% no trimestre, de 2,33% no ano e de 3,84% em 12 meses. A desaceleração foi provocada especialmente pela queda de preços (deflação) de 0,64% dos alimentos.

Entre os itens com maior queda de preços , destacam-se o feijão-carioca (-14,99%), tomate (-13,43%), feijão-mulatinho (-11,48%), batata-inglesa (-11,30%), feijão-preto (-8,84%) e frutas (-5,25%). A alimentação fora de casa também teve deflação (-0,33%).

A queda de preços de 0,67% dos combustíveis também teve impacto no recuo da taxa do IPCA-15. A gasolina, que havia tido inflação de 3,29% em maio, acusou uma alta de preços de apenas 0,10% em junho. Já o etanol registrou deflação de 4,57%.

Leia também: Últimos dias para sacar o abono PIS/Pasep; saiba se você tem direito

Apesar disso, os transportes registraram inflação de 0,25% por conta da alta de 18,98% nos preços das passagens aéreas no mês. Os grupos que tiveram as maiores taxas de inflação e evitaram uma queda maior do IPCA-15 foram saúde e cuidados pessoais (0,58%) e habitação (0,52%).