Tamanho do texto

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, a aérea fez o pedido à Secretaria Nacional do Consumidor; veja orientação aos passageiros

A Agência Nacional de Aviação Civil ( Anac ) informou em nota oficial em seu site ter notificado a  a Avianca Brasil, em recuperação judicial desde dezembro, "por deixar de responder às reclamações de passageiros na plataforma Consumidor.gov.br no prazo de dez dias estabelecido pela Resolução nº 400 da agência".

Leia também: Anac suspende os voos da Avianca; saiba o que fazer se comprou passagem

Avião da Avianca
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Avianca Brasil é notificada pela Anac

Segundo a Anac, a Avianca Brasil requisitou à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) o seu desligamento da plataforma do Consumidor.gov.br.

A agência explica, no entanto, que a Avianca Brasil ainda precisa atender os passageiros. Segundo o comunicado, a aérea "está obrigada a oferecer para a escolha do passageiro as alternativas de  reacomodação em voos de outras companhias aéreas e de reembolso integral do valor pago, conforme estabelecidas na Resolução nº 400".

O passageiro que comparecer ao aeroporto por falha de comunicação da Avianca Brasil "ainda tem o direito às assistências de comunicação, alimentação e hospedagem."

Leia também: Azul oferece US$ 145 milhões por parte das operações da Avianca Brasil

Os passageiros que compraram passagens aéreas vendidas pela Avianca Brasil para voos operados por companhias aéreas estrangeiras deverão ter o seu contrato honrado, explica a nota. "Em caso de falha na prestação dos serviços, a empresa aérea estrangeira responsável pela operação do voo está obrigada a prestar as informações, assistências e alternativas aos passageiros ".

De acordo com a Anac, o passageiro que não tiver os direitos respeitados deve procurar o sistema de atendimento da empresa aérea responsável pelo voo e, caso não fique satisfeito com a solução apresentada, poderá registrar uma reclamação no Consumidor.gov.br. ou recorrer aos órgãos do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor para pedir ressarcimento e reparação de danos.

Leia também: Avianca Brasil rejeita compra de seus ativos pela Azul

A agência diz ainda que a Avianca Brasil pode ter sua cassada sua concessão "para a exploração dos serviços de transporte aéreo da empresa, caso não adote as providências corretivas determinadas."

A Anac já havia determinado a suspensão cautelar das operações da Avianca Brasil em 24 de maio deste ano, "até que a empresa comprove capacidade para garantir a segurança dos voos."