Tamanho do texto

Acordo deverá ser costurado em viagens internacionais e pode acontecer ainda neste ano; Macri, presidente argentino, quer usar como força eleitoral

Paulo Guedes, ministro da Economia
José Cruz/Agência Brasil
Mercosul deve fechar acordo de livre comércio com a União Europeia em breve, segundo Paulo Guedes

Na reunião fechada entre Jair Bolsonaro e Mauricio Macri, presidente da Argentina, os líderes conversaram sobre um possível avanço nas negociações do Mercosul com a União Europeia (UE) para a criação de uma área de livre comércio. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o acordo deve ser fechado em até um mês.

Leia também: Mercosul: objetivos, países membros, economia e mais 

Fontes do governo argentino confirmaram também que a intenção dos presidentes é avançar no acordo durante reunião técnica que será realizada em Bruxelas, na Bélgica, nos dias 27 e 28 de junho. Este encontro é paralelo à reunião de cúpula dos países do G-20, no Japão, entre os dias 28 e 29, na qual Bolsonaro e Guedes pretendem terminar de fechar os detalhes políticos que não tiverem sido concluídos na reunião técnica.

Antes de entrar para a reunião, o ministro disse que espera fechar o acordo com o bloco europeu dentro de três a quatro semanas. O assunto será discutido com os sócios Paraguai e Uruguai durante a cúpula do Mercosul , no dia 17 de junho, na cidade de Santa Fé, na Argentina. "Estamos aqui fazendo um aprofundado acordo comercial", defendeu Guedes à GloboNews . "O Brasil está abrindo sua economia gradualmente", complementou.

Bolsonaro chegou nesta quinta-feira (6) a Buenos Aires para sua primeira visita oficial à Argentina. A comitiva brasileira na visita é composta por setes ministros: Ernesto Araújo (Relações Exteriores); Fernando Azevedo e Silva (Defesa); Paulo Guedes (Economia); Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil); Bento Albuquerque (Minas e Energia); Marcos Cesar Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações); e  Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). Além deles, acompanham a visita o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel; o senador  Luiz Carlos Heinze  (PP/RS);  os deputados federais Marcel Van Hatten (Novo/RS) e Eduardo Bolsonaro (PSL/SP); e o deputado estadual Frederico Antunes (PP/RS).

Macri, que busca reeleição, diz que espera assinar o acordo de livre comércio com a União Europeia antes da votação argentina. As conversas entre os dois blocos começaram há 20 anos e seriam concluídas ainda em 2019, segundo estimativa do governo brasileiro e de alguns países europeus. No encontro, Bolsonaro e Macri selarão ainda entendimentos em matéria de defesa, infraestrutura, meio ambiente e comércio, entre outros.

Leia também: De sanções a ataques, a linha do tempo da guerra comercial entre China e EUA

Durante a visita, Bolsonaro terá uma agenda intensa, incluindo encontros com representantes do Parlamento, da Corte Suprema de Justiça e empresários. Grande parte das reuniões será realizada na Casa Rosada, na capital.