Tamanho do texto

Deputado Samuel Moreira pretende alterar regra para ter direito ao Programa Integração Social; ideia é adotar solução intermediária

Samuel Moreira
Pablo Valadares/Agência Câmara
Atualmente, benefício é concedido a quem recebe até dois salários mínimos

relator da reforma da Previdência na comissão especial, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP),  fará modificações na proposta do governo  que restringe o pagamento do  abono salarial (PIS) a quem ganha  um salário mínimo (em R$ 998). Atualmente o benefício é concedido  a quem recebe até dois salários mínimos (R$ 1,9 mil). 

A ideia é que o relator adote uma solução intermediária de 1,4 salário, segundo fontes a par das discussões.

Leia também: Relator devolve 50 emendas à reforma da Previdência por falta de assinaturas

O objetivo é evitar que trabalhadores de cinco estados, entre eles do Rio sejam cortados automaticamente do universo de beneficiários porque o piso nessas localidades supera o mínimo nacional.

Moreira pretendia retirar da reforma a mudança no abono por entender que a medida não  faz parte do tema da previdência . Na avaliação dele, a alteração mexe com direitos de  trabalhadores ativos.

No entanto,  o impacto fiscal da medida, de quase R$ 170 bilhões em 10 anos,  pesou na decisão. Ele também não conseguiu uma fonte de receitas para compensar a perda.

Leia também: Relator da Previdência pede adesão de governadores à reforma