Tamanho do texto

Durante evento, o ministro ainda adiantou que, após a aprovação da nova Previdência, o foco será a PEC do pacto federativo e a reforma tributária

ministro paulo guedes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
"A abertura da economia tem que ser exponencial, não pode ser linear, senão você quebra a indústria", alertou Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que quer fazer um corte de 10% nas tarifas de importação em uma busca da abertura da economia. Ele participou na manhã desta sexta-feira (10) do Fórum Nacional, na sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no Rio de Janeiro. Guedes, que chorou após relembrar o economista João Paulo dos Reis Velloso , criticou a antiga política de campeãs nacionais do BNDES.

"É tudo ou nada. É aqui que o jogo é definido. A abertura da economia tem que ser exponencial, não pode ser linear, senão você quebra a indústria brasileira. Vamos baixar tarifa média de importação em 10%, sendo 1% no primeiro ano, o dobro no segundo, o triplo no terceiro e o quádruplo no último ano", prometeu o ministro.

Além disso, Guedes adiantou que, após a reforma da Previdência, o foco será a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do pacto federativo, que busca descentralizar recursos a favor de estados e municípios.

"Demora um pouco, mas o ciclo da economia é virtuoso. Quando acabar a Previdência , temos o pacto federativo dos estados, que é a descentralização de recursos. Todo mundo sabe que é necessário. Todos os governadores sabem q que isso tem que ser feito. São coisas que temos que fazer. Temos nossa agenda", destacou.

Leia também: Governo é o maior inimigo da Previdência, diz presidente da comissão especial

Durante o evento, Guedes também citou a reforma tributária , que deve começar a ser discutida nos próximos meses. "Vamos pegar de três a cinco impostos e transformar em um só imposto. Depois vamos pegar outros três, quatro e cinco e transformar também em um. Precisamos  que as novas gerações acreditarem no Brasil", completou.