Previsão de crescimento da economia brasileira caiu pela nona semana seguida
iStock
Previsão de crescimento da economia brasileira caiu pela nona semana seguida

Analistas de instituições financeiras reduziram, pela nona vez seguida, a estimativa para o crescimento da economia brasileira neste ano, passando de 1,71% a 1,70%. O apontamento consta no Boletim Focus, relatório semanal do Banco Central (BC) com integrantes do mercado, divulgado nesta segunda-feira (29).

Leia também: Bolsonaro desmente chefe da Receita: "nenhum novo imposto será criado"; assista

O levantamento foi feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras, e ajuda a medir a evolução da economia brasileira , mensurada pelo Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

As quedas das expectativa para crescimento do PIB meste ano começaram após a divulgação do resultado consolidado do ano passado, quando a economia avançou apenas 1,1% , de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na última revisão do Orçamento, o Ministério da Economia projetou um crescimento de 2,2% para 2019, valor bem acima dos 1,70% esperados pelo mercado. Para os próximos dois anos, as expectativas das instituições financeiras e do próprio Banco Central permaneceram estáveis, em 2,50%.

Você viu?

De acordo com os economistas do mercado financeiro, a expectativa de inflação permaneceu  estável em 4,01%. A meta central deste ano é de 4,25%, e o intervalo de tolerância do sistema de metas varia entre 2,75% e 5,75%.

Fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a meta de inflação é ajustada com elevações ou reduções da taxa básica de juros da economia, a Selic , que permanece em 6,5%, o menor valor da série histórica. Para o fim de 2020, a previsão seguiu em 7,5% ao ano, portanto deve haver alta dos juros no ano que vem.

Para o ano que vem, a previsão para a inflação está alinhada entre o mercado financeiro e a meta central estipulada pela CMN. Ambos preveem o índice em 4% no ano que vem, ou seja, meta terá sido oficialmente cumprida se a inflação oscilar entre 2,5% e 5,5% no período, já que a tolerância é de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos.

Leia também: Onyx mantém previsão de que reforma da Previdência será aprovada no 1º semestre

Outras estimativas para a economia brasileira apresentadas no Focus

Dólar deve terminar cotado a R$ 3,75 neste ano, segundo estimativas do mercado financeiro para a economia brasileira
Reprodução
Dólar deve terminar cotado a R$ 3,75 neste ano, segundo estimativas do mercado financeiro para a economia brasileira


  • Dólar: A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim deste ano seguiu em R$ 3,75 por dólar . Para o fim do ano que vem, a previsão recuou de R$ 3,80 para R$ 3,79 por dólar, apesar da alta recente da moeda norte-americana, que está cotada em torno de R$ 3,93 nesta segunda-feira;
  • Balança comercial: A previsão para o saldo da balança comercial, que calcula o resultado do total de exportações menos as importações, permaneceu estável em US$ 50 bilhões, com resultado superavitário. Para o ano que vem, a estimativa também seguiu inalterada, em US$ 46 bilhões; e
  • Investimento estrangeiro: A previsão para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil neste ano subiu de US$ 81,89 bilhões para US$ 82 bilhões, e a tendência de alta segue para 2020; os analistas passaram a prever alta de US$ 84,68 bilhões, ante os US$ 83,38 bilhões previstos anteriormente. A alta indica otimismo em relação a economia brasileira .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários