Tamanho do texto

Opiniões contrárias à PEC 06/2019 são maioria, endossando pesquisa do Instituto Datafolha que mostra que 51% dos brasileiros contrários ao texto

Jair Bolsonaro sorrindo sentado
Alan Santos/PR
Câmara dos Deputados realiza enquete sobre reforma da Previdência

A Câmara dos Deputados realiza uma enquete virtual sobre a reforma da Previdência, em que é possível que qualquer pessoa avalie a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019. Ao entrar na votação, surge a pergunta "O que você acha disso?" logo abaixo da numeração da proposta.

Leia também: 51% dos brasileiros são contra reforma da Previdência, diz Datafolha

Para opinar sobre a nova Previdência proposta pelo governo, basta fazer um cadastro (sendo possível, inclusive, entrar diretamente com o perfil do Facebook). As opções são, em ordem, concordo totalmente, concordo na maior parte, estou indeciso, discordo na maior parte e discordo totalmente.

O resultado mostra os extremos dominando as opiniões, com a discordância total na primeira posição e a aprovação absoluta logo atrás. A opção "indeciso" aparece na última posição. Nesta quarta-feira (10), o Instituto Datafolha divulgou pesquisa que aponta que mais da metade dos brasileiros (51%) são contrários à reforma proposta pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Leia também: Por aprovação da nova Previdência, Guedes e Moro se encontram com celebridades

Na enquete da Câmara , além de votar, é possível escrever sua opinião sobre a reforma, seja sua opinião favorável ou não. Entre os pontos positivos, aparecem em destaque "O Brasil vai sair do fundo do poço e voltar a crescer", de Marcelo Barbará e "maior igualdade social", segundo a internauta Maria do Carmo Guimarães.

Entre as críticas, aparecem comentários como "Essa PEC só prejudica os mais pobres. É injusta e maldosa a mudança na idade mínima para aposentadoria dos professores. Essa proposta mantém os privilégios de políticos e dos maiores devedores da previdência", de Elvira Rosa Palmerio e "Antes de alterar a previdência dos trabalhadores, que alterem o sistema de aposentadoria dos militares, deputados e senadores", pede Adriana Melo.

Leia também: "Não ajudaremos vagabundos", diz Guedes sobre emprego e carteira verde e amarela

A proposta, no Congresso desde 20 de fevereiro, foi considerada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) como constitucional. A expectativa é que a votação na CCJ seja feita em 17 de abril, de acordo com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.

Dê aqui seu voto e sua opinião  sobre a reforma da Previdência proposta pela equipe econômica chefiada pelo ministro Paulo Guedes. Ao todo, mais de 39 mil brasileiros já participaram da enquete.