Tamanho do texto

Opiniões contrárias à PEC 06/2019 são maioria, endossando pesquisa do Instituto Datafolha que mostra que 51% dos brasileiros contrários ao texto

Jair Bolsonaro sorrindo sentado
Alan Santos/PR
Câmara dos Deputados realiza enquete sobre reforma da Previdência

A Câmara dos Deputados realiza uma enquete virtual sobre a reforma da Previdência, em que é possível que qualquer pessoa avalie a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019. Ao entrar na votação, surge a pergunta "O que você acha disso?" logo abaixo da numeração da proposta.

Leia também: 51% dos brasileiros são contra reforma da Previdência, diz Datafolha

Para opinar sobre a nova Previdência proposta pelo governo, basta fazer um cadastro (sendo possível, inclusive, entrar diretamente com o perfil do Facebook). As opções são, em ordem, concordo totalmente, concordo na maior parte, estou indeciso, discordo na maior parte e discordo totalmente.

O resultado mostra os extremos dominando as opiniões, com a discordância total na primeira posição e a aprovação absoluta logo atrás. A opção "indeciso" aparece na última posição. Nesta quarta-feira (10), o Instituto Datafolha divulgou pesquisa que aponta que mais da metade dos brasileiros (51%) são contrários à reforma proposta pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Leia também: Por aprovação da nova Previdência, Guedes e Moro se encontram com celebridades

Na enquete da Câmara , além de votar, é possível escrever sua opinião sobre a reforma, seja sua opinião favorável ou não. Entre os pontos positivos, aparecem em destaque "O Brasil vai sair do fundo do poço e voltar a crescer", de Marcelo Barbará e "maior igualdade social", segundo a internauta Maria do Carmo Guimarães.

Entre as críticas, aparecem comentários como "Essa PEC só prejudica os mais pobres. É injusta e maldosa a mudança na idade mínima para aposentadoria dos professores. Essa proposta mantém os privilégios de políticos e dos maiores devedores da previdência", de Elvira Rosa Palmerio e "Antes de alterar a previdência dos trabalhadores, que alterem o sistema de aposentadoria dos militares, deputados e senadores", pede Adriana Melo.

Leia também: "Não ajudaremos vagabundos", diz Guedes sobre emprego e carteira verde e amarela

A proposta, no Congresso desde 20 de fevereiro, foi considerada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) como constitucional. A expectativa é que a votação na CCJ seja feita em 17 de abril, de acordo com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.

Dê aqui seu voto e sua opinião  sobre a reforma da Previdência proposta pela equipe econômica chefiada pelo ministro Paulo Guedes. Ao todo, mais de 39 mil brasileiros já participaram da enquete.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.