Tamanho do texto

Em contrapartida, 41% são a favor, enquanto 2% se dizem indiferentes e 7% não sabem ou não opinaram; mulheres são mais contrárias às mudanças

Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Rejeição à proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro é menor do que a do ex-presidente Temer


Mais da metade dos brasileiros são contra a reforma da Previdência proposta pela gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no dia 20 de fevereiro. Segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (10) pelo jornal Folha de S. Paulo , 51% da população disse não aprovar as mudanças nas regras de aposentadoria.

Leia também: População está mais pessimista com economia após primeiros meses de Bolsonaro

Apesar dos 51%, outros 41% dos brasileiros disseram que são favoráveis à nova Previdência , enquanto 2% alegaram ser indiferentes. Outros 7% responderam que não sabem ou não quiseram opinar.

Entre a população contrária à reforma , a maioria é composta de mulheres: 56% delas rejeitam a proposta, número que cai mais de 10 pontos percentuais (p.p) quando considerados os homens. Nessa ala masculina, há um empate técnico a partir da margem de erro (2 p.p para mais ou para menos), já que 48% se diz a favor e 45% contra.

Os que rejeitam as mudanças na aposentadoria propostas pelo presidente são contra, principalmente, às mudanças na idade mínima. De acordo com a pesquisa, 65% das pessoas se opem a idade mínima de 62 anos para mulheres, enquanto 53% são contrários à de 65 anos para homens.

Leia também: Brasileiros acreditam que não há progresso sem redução de desigualdades

Apesar de a maioria dos brasileiros declararem que não apoiam a reforma da Previdência , a rejeição de 51% de Bolsonaro é menor do que a registrada pela proposta de mudança do governo do ex-presidente Michel Temer (MDB). Em abril de 2017, quando estava prestes a ser votada por comissão especial da Câmara dos Deputados, a reforma de Temer tinha 71% de pessoas contrárias.

Para fazer a pesquisa, o  Datafolha ouviu 2.086 brasileiros com 16 anos ou mais, em 130 municípios do Brasil, entre os dias 2 e 3 de abril.

Os números da Previdência para eleitores (ou não) de Bolsonaro

Fernando Haddad
undefined
Eleitores de Haddad e votos brancos e nulos são mais contrários à reforma da Previdência do que quem elegeu Bolsonaro


Entre os eleitores de Bolsonaro, 55% são a favor da nova Previdência , enquanto 36% se dizem contrários. O cenário muda quando são considerados os eleitores de Fernando Haddad (PT) ou os votos brancos e nulos: entre eles, 72% alegam que são contra as mudanças.

Leia também: 100 dias de Bolsonaro têm muito discurso e poucas ações concretas na economia

Além disso, a Previdência, segundo a pesquisa, também é mais aprovada entre as pessoas com renda familiar acima de dez salários mínimos (50% de apoio e 47% contrários) e mais rejeitada entre funcionários públcios (63% contra).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.