Tamanho do texto

Segundo Datafolha, apenas 50% dos brasileiros acreditam que economia do País vai melhorar; em dezembro, 65% das pessoas confiavam na mudança

Bolsonaro de perfil
Marcos Corrêa/PR
Antes da posse de Bolsonaro, 65% dos brasileiros acreditavam em melhora da economia; número caiu para 50% em abril


Os brasileiros estão mais pessimistas com a economia brasileira e com sua própria situação financeira após os primeiros meses de Jair Bolsonaro (PSL) como presidente da República. As informações são de uma pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (8) pelo jornal Folha de S. Paulo .

Leia também: Bolsonaro tem a pior avaliação de um presidente de 1º mandato em três meses

De acordo com os dados, o otimismo da população em relação a economia caiu 15 pontos percentuais (p.p) de dezembro do ano passado para abril. No fim do ano, próximo à data da posse de Bolsonaro , 65% dos brasileiros acreditavam em uma melhora na situação financeira do País, número que, três meses depois, cai para 50%.

Enquanto isso, a parcela da população que prevê piora na economia brasileira dobrou: eram 9% em dezembro de 2018 e agora são 18%. Entenda:

Expectativa da situação econômica do país:

  •  Vai melhorar: 50%
  • Vai ficar como está: 29%
  • Vai piorar: 18%
  • Não sabe: 3%

De acordo com a pesquisa, que é feita desde 1997, é comum que as expectativas em relação à economia aumentem dias antes da posse presidentecial. Apesar disso, não houve redução desse otimismo nos primeiros meses de governo nem de Lula nem de Dilma Rousseff. O quadro de Bolsonaro só ficou semelhante ao do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que também foi atingido pelo pessimismo da população após sua posse.

Além do pessimismo em relação a economia do Brasil, o levantamento do Datafolha também aponta que as pessoas estão mais receosas a respeito de sua própria situação financeira. 

A pesquisa aponta que apenas 59% dos brasileiros confiam em uma melhora em suas finanças, número que era de 67% em dezembro do ano passado. A quantidade de pessoas que acredita em uma piora também aumentou, passando de 6% para 11% em abril.

Expectativa da situação econômica do entrevistado:

  •  Vai melhorar: 59%
  • Vai ficar como está: 29%
  • Vai piorar: 11%
  • Não sabe: 1%

Leia também: Maioria acha que data do golpe de 1964 deveria ser desprezada, aponta Datafolha

Os dados também calcularam as expectativas dos brasileiros em relação ao desemprego , a inflação e ao poder de compra.  Quase metade (47%) da população acha que o desemprego vai aumentar, número que era apenas de 29% antes do início da gestão de Bolsonaro. Antes, era o contrário: 47% acreditava em melhora na desocupação, número que caiu para 29% em abril.

Expectativa de desemprego:

  •  Vai aumentar: 47%
  • Vai diminuir: 29%
  • Vai ficar como está: 21%
  • Não sabe: 3%

 Expectativa de inflação:

  •  Vai aumentar: 45%
  • Vai ficar como está: 29%
  • Vai diminuir: 22%
  • Não sabe: 4%

 Expectativa do poder de compra:

  •  Vai aumentar: 34%
  • Vai diminuir: 33%
  • Vai ficar como está: 30%
  • Não sabe: 3%

Leia também:  "Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar", diz Bolsonaro em evento

Essa foi a primeira pesquisa do Datafolha sobre a expectativa da população para a economia após a posse de Bolsonaro . Para isso, foram ouvidas 2.086 pessoas com mais de 16 anos, em 130 municípios, nos dias 2 e 3 abril. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.