Tamanho do texto

Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura, prometeu que pasta irá trabalhar para "melhorar condições de vida" da categoria, que expressa descontentamento

caminhoneiros durante greve
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 25.5.18
Possibilidade de nova greve dos caminhoneiros assombra governo Bolsonaro

Integrantes do governo federal voltaram a acenar aos caminhoneiros para tentar reduzir a possibilidade de nova paralisação da categoria. Em vídeo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, firmou o compromisso de trabalhar para "melhorar as condições de vida" desses profissionais e também assegurou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem um "amor muito grande" pela categoria.

"O presidente Bolsonaro determinou que o Ministério trabalhe para melhorar a condição de vida do caminhoneiro na estrada. Ele tem um amor muito grande pela categoria. Vamos intensificar a fiscalização do cumprimento da lei do preço mínimo do frete, vamos construir postos de parada, principalmente nas rodovias concessionadas. Vamos aplicar recursos para fazer a manutenção das vias e trabalhar intensamente para melhorar as condições de vida dos caminhoneiros ", disse Freitas.

As declarações do ministro foram feitas em vídeo compartilhado na noite dessa sexta-feira (29) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O próprio presidente participa da gravação, dirigindo sua breve mensagem aos "amigos caminhoneiros". Bolsonaro , no entanto, até o momento não divulgou o vídeo ele próprio.

Na quinta-feira (28), o presidente anunciou medidas para atender demandas dos caminhoneiros , mas não conseguiu agradar a categoria. Os profissionais têm manifestado descontentamento pelo fato de que, segundo avaliam, os compromissos assumidos pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) durante a última greve da categoria não estão sendo cumpridos. 

Os caminhoneiros cobram que o governo tome medidas para assegurar o pagamento do piso mínimo da tabela do frete e que o preço do diesel não sofra altas com tanta frequência - como voltou a ocorrer neste ano .

Em cima dessa segunda demanda, Bolsonaro anunciou a criação do chamado cartão caminhoneiro , que servirá como uma espécie de pré-pago para que os profissionais comprem grandes quantidades de combustível pagando o preço do litro naquele dia - e, assim, fiquem imunes a possíveis altas. 

Segundo a Petobras, o cartão caminhoneiro deve funcionar apenas nos postos com bandeira BR. "O cartão servirá como uma opção de proteção da volatilidade de preços, garantindo assim a estabilidade durante a realização de viagens", explicou a estatal.

Entidades que representam os caminhoneiros , no entanto,  não receberam o anúncio com entusiasmo. Mas apesar de a possibilidade de uma nova greve 'assombrar' o Planalto, sindicalistas dizem não vislumbrar, neste momento, cenário capaz de repetir o caos deflagrado pela última paralisação , em maio do ano passado.