Tamanho do texto

Em uma live no Facebook, o presidente comentou a nova política de preços do diesel; ele também disse que pediu a retirada de radares das rodovias

undefined
Isac Nóbrega/PR
Em live, Bolsonaro comenta novas medidas para os caminhoneiros


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, em uma transmissão ao vivo realizada no Facebook nesta quinta-feira (28), novidades para os caminhoneiros. Segundo ele, a principal mudança é a criação do chamado cartão caminhoneiro, que vai garantir à categoria a compra de combustível sem variação contínua de preço.

Leia também: Greve de caminhoneiros colocou Petrobras em xeque e expôs dependência rodoviária

"Teremos, daqui no máximo a 90 dias, o cartão caminhoneiro. O que é isso? Os caminhoneiros que passarem no posto de combustível vão pagar o preço do óleo diesel do dia. Isso é uma vantagem, garante a eles que seu frete não será consumido por possíveis reajuste no preço do óleo diesel [durante uma viagem de fretamento]", explicou.

Além de colocar um prazo para a chegada da novidade, Bolsonaro disse que os trabalhadores poderão "encher" o cartão com um valor como, por exemplo, 500 litros de diesel e ir abastecendo o tanque ao longo da viagem, segurando o preço do momento em que o cartão foi carregado.

Ainda de acordo com o presidente, a criação desse cartão pré-pago atende a uma das principais reclamações da categoria, que é a mudança no preço do combustível . “O caminhoneiro reclamava que pegava o frete até Porto Alegre e, na volta, havendo a recomposição do preço do diesel, parte ou todo o dinheiro que tinha recebido era engolido pelo novo preço do combustível”, declarou.

Segundo a Petobras , o cartão caminhoneiro deve funcionar apenas nos postos com bandeira BR. "O cartão servirá como uma opção de proteção da volatilidade de preços, garantindo assim a estabilidade durante a realização de viagens", explicou a estatal.

Além da novidade, que foi anunciada dois dias após a Petrobras modificar a política de preço do diesel , aumentando o intervalo de reajustes, pode vir acompanhada de outras medidas. "Com certeza, novas medidas serão adotadas semana que vem”, afirmou Bolsonaro durante a live.

O presidente também falou sobre uma provável retirada de radares das estradas do País, inclusive das que forem administradas por concessionárias. Segundo ele, é preciso parar a "indústria da multa."  "Nós não queremos mais novos pardais no Brasil, que visam a cobrança, a multagem eletrônica", disse.

 "O que está acertado com o Tarcísio [Gomes, ministro da Infraestrutura, que estava presente na transmissão ao vivo] é que os contatos vencidos [de implantação de radares eletrônicos] não serão renovados", acrescentou.

Mudanças para caminhoneiros são anunciadas em meio a risco de greve

undefined
Roberto Parizotti/Fotos Públicas
Greve dos caminhoneiros escancarou insatisfação da categoria e a dependência do Brasil do transporte rodoviário


Nas últimas semanas, uma possível nova greve dos caminhoneiros voltou a ser pauta no País. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República começou a  monitorar as primeiras movimentações da categoria, que estaria marcando, via WhatsApp, uma movimentação nas ruas para o próximo sábado (30).

O motivo de uma nova paralisação, segundo os caminhoneiros , é o entendimento da categoria de  que os compromissos assumidos pelo ex-presidente Michel Temer durante a última greve não estão sendo cumpridos.

*Com informações da Agência Brasil