Tamanho do texto

Ministro e presidentes da Câmara e Senado discutem amanhã tramitação da nova Previdência e impacto de esperar ou não para apresentar regras para a aposentadoria dos militares, segundo a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP)

Maia e Alcolumbre se reúnem com Paulo Guedes nesta quarta-feira (27) para tratar dos militares na nova Previdência
Palácio do Planalto/Divulgação
Maia e Alcolumbre se reúnem com Paulo Guedes nesta quarta-feira (27) para tratar dos militares na nova Previdência

O ministro da Economia, Paulo Guedes, deve se reunir com Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, e Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado Federal, para tratar das novas regras para aposentadoria dos militares e como a espera para apresentar esses detalhes, programada pela equipe econômica, pode afetar a tramitação da nova Previdência no Congresso. A informação foi dada pela deputada Joice Hasselmann (PSL), em visita ao Planalto na noite desta segunda-feira (25).

Maia defendeu, também nesta segunda-feira, que a tramitação da PEC 6/2019, apresentada ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) na última quarta-feira (20),  seria condicionada à apresentação do Projeto de Lei (PL) que trate das mudanças nas regras de aposentadoria dos militares na nova Previdência .

O texto adicional, prometido por Bolsonaro, Guedes e o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), ainda não foi apresentado, e, segundo afirmou o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, a ideia é que só seja detalhado no mês de março. Rodrigo Maia, no entanto, critica a estratégia e diz acreditar ser melhor antecipar o PL para facilitar a tramitação da reforma no Congresso. O ministro da Economia já citou, em entrevista à NBR , o comprometimento dos líderes da Câmara e do Senado com a reforma da Previdência.

Para Maia, a demora na apresentação do texto voltado às Forças Armadas atrasa todo o processo. "Disse ao Onyx [Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil] que se não encaminhar [a proposta para os militares], vai atrasar [a tramitação da reforma]. Eu já disse ao governo que vamos dar tratamento paralelo aos dois projetos", garantiu o deputado. "Não mandaram o PL dos militares . Então, na semana que vem, mesmo que chame para instalar as comissões, não vai [acontecer a votação]", reforçou.

Joice, que é cotada para liderança do governo no Congresso, contando inclusive com o apoio de Maia e Alcolumbre, comenta que "é natural que a Câmara queira ver o projeto envolvendo os militares", e justifica, defendendo que "a nova Previdência é para todo mundo. Isso precisa ser evidenciado para os parlamentares e para a sociedade. Esse recado é para todos", complementou.

Leia também: Saiba como será a tramitação da reforma da Previdência no Congresso Nacional

Rodrigo Maia afirma que os dois projetos (a nova Previdência , PEC 6/2019, e o PL que trata da aposentadoria dos militares) sejam tratados paralelamente. Para isso, o governo precisa antecipar a apresentação do texto sobre os militares. Caso contrário, segundo o líder da Câmara, todo o processo sofrerá atraso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas