Tamanho do texto

Secretaria do Trabalho calcula que serão R$ 2,8 bilhões em pagamentos; 3,4 milhões de trabalhadores podem sacar o benefício, que pode chegar a R$ 998

Abono salarial referente ao ano de 2017 estará disponível para cerca de 3,4 milhões de trabalhadores
Reprodução
Abono salarial referente ao ano de 2017 estará disponível para cerca de 3,4 milhões de trabalhadores

O abono salarial do PIS/Pasep do calendário 2018-2019, referente ao ano-base 2017, começa a ser pago nesta quinta-feira (17) para trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público nascidos em janeiro e fevereiro. 

Leia também: Inadimplência tem maior alta desde 2012 e já afeta 62,6 milhões de brasileiros

O abono salarial destinado a trabalhadores do setor privado (PIS) pode ser retirados em agências da Caixa Econômica Federal, enquanto o Pasep, para servidores públicos, é pago no Banco do Brasil àqueles cuja inscrição é terminada em cinco.

São esperados R$ 2,8 bilhões em pagamentos a aproximadamente 3,4 milhões de trabalhadores. A estimativa é feita pela Secretaria do Trabalho , do Ministério da Economia, uma vez que o  Trabalho perdeu o status de ministério em decisão do novo governo.

De acordo com o calendário, quem é nascido entre janeiro e junho receberá o PIS no 1º trimestre. Mesmo que hajam mudanças na programação, é certo que o recurso ficará à disposição do trabalhador até 28 de junho, prazo final para o recebimento.

O valor do abono cresceu em relação ao benefício referente ao ano-base 2016, acompanhando a variação do salário mínimo , e varia de R$ 83 a R$ 998, dependendo do tempo em que a pessoa trabalhou formalmente no ano de 2017.

Quem tem direito e como sacar o abono salarial?

Saques do abono salarial do PIS devem ser feitos em agências da Caixa Econômica Federal
Antonio Cruz/Agência Brasil
Saques do abono salarial do PIS devem ser feitos em agências da Caixa Econômica Federal

Têm direito ao pagamento os trabalhadores inscritos no  PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, que tenham trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias no ano de 2017. Também é preciso que a remuneração mensal média no tempo trabalhado tenha sido de até dois salários mínimos e que os dados do funcionário tenham sido fornecidos corretamente pelo empregador à Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Para sacar, é preciso apresentar um documento de identificação e o número do PIS/Pasep; no caso do PIS, para quem é correntista da Caixa , o pagamento é feito dois dias antes do restante dos outros trabalhadores. Já no caso do Pasep , o crédito em conta para correntistas do Banco do Brasil será efetuado a partir do 3º dia útil anterior ao início de cada período de pagamento.

Para sacar o PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada deve se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação.

Mais informações sobre o PIS podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07, da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/PIS , em Consultar Pagamento. Para tanto, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Os servidores públicos com direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, devem procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone do Banco do Brasil, 0800-729-00-01.

Leia também: IPVA à vista ou parcelado: qual é a melhor forma de pagar o imposto?

Segundo a Caixa, quando o abono salarial não é sacado, o valor é incorporado ao saldo de quotas. Em caso de permanência após o final do exercício financeiro, que ocorre em 28 de junho, os rendimentos são disponibilizados para saque no novo calendário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas