Tamanho do texto

De acordo com o novo presidente da instituição financeira, é preciso deixar de lado operações com grandes empresas e focar nos clientes menores. Veja

Caixa Econômica Federal deve começar a priorizar clientes menores em 2019, de baixa renda, além do crédito imobiliário
Arquivo/Agência Brasil
Caixa Econômica Federal deve começar a priorizar clientes menores em 2019, de baixa renda, além do crédito imobiliário


A Caixa Econômica Federal vai, a partir de agora, deixar operações com grandes empresas de lado para focar no atendimento a clientes de baixa renda e em crédito imobiliário. A informação foi dita na quarta-feira (2), pelo novo presidente do banco estatal, Pedro Guimarães.

Leia também: Quem é Pedro Guimarães, futuro presidente da Caixa Econômica Federal

De acordo com Guimarães, o banco não deve fazer parcerias com outras instituições grandes, já que elas podem conseguir apoio a partir de outros meios. “Até que ponto a Caixa Econômica Federal tem que ter mais de R$ 100 bilhões em empréstimos a grandes empresas, que podem tranquilamente tomar esses recursos no mercado interno e no mercado externo?", disse.

Para ele, é necessário prestar atenção nos correntistas menores. "Por que a Caixa, com 93 milhões de clientes, que não consegue financiar microcrédito e não tem operação relevante de consignado, tem que emprestar para uma empresa gigante? Não vejo nenhum sentido”, afirmou.

Leia também: Governo estuda aumentar imposto de renda para classes mais altas, diz secretário

Em sua fala, o novo presidente da instituição financeira também criticou a atuação da Caixa durante os governos petistas, quando empresas como a Petrobras receberam empréstimos.

Conheça o novo presidente da Caixa Econômica Federal

O novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, foi indicado pessoalmente por Paulo Guedes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, foi indicado pessoalmente por Paulo Guedes


Pedro Guimarães foi indicado por Paulo Guedes para comandar a Caixa. Ele é sócio do banco de investimentos Brasil Plural e especialista em processos de privatizações. O presidente da estatal acompanhou, por exemplo, a privatização do Banespa, antigo banco estadual de São Paulo.

Leia também: Os 27 nomes que compõem a equipe econômica de Paulo Guedes

Guimarães em 20 anos de experiência no mercado financeiro e é doutor em economia pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos. Em sua tese, o novo presidente da Caixa Econômica Federal discutiu o processo de privatização no Brasil.