Tamanho do texto

Organização apontou o Brasil como instável e considerou que há muitas "incertezas significantes" no País; previsão do PIB passou de 2,5% para 2,1%

OCDE reduziu a projeção de crescimento da economia brasileira para 2,1% em 2019
iStock
OCDE reduziu a projeção de crescimento da economia brasileira para 2,1% em 2019


A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) diminuiu as projeções para o crescimento da economia brasileira em 2019. As informações fazem parte do relatório "Perspectiva Econômica", divulgado nesta quarta-feira (21) pela instituição.

Leia também: Economia tem crescimento de 1,74% no terceiro trimestre, aponta Banco Central 

De acordo com a OCDE, a economia brasileira deve crescer 2,1% no ano que vem, uma redução de 0,4 ponto percentual em relação à projeção feita em setembro, quando a expectativa de crescimento era de 2,5%.

Para justificar essa queda nas previsões do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019, a organização apontou o Brasil como uma forte fonte de instabilidade no aspecto econômico. Segundo o relatório, ainda há muitas “incertezas significantes” quando se fala no futuro do País, principalmente quanto às reformas estruturais.

"Sem uma forte redução de gastos, a sustentabilidade das contas públicas continua em risco, especialmente devido ao aumento das despesas com aposentadorias", afirmou a instituição, destacando a necessidade da reforma da Previdência.

Apesar de citar a instabilidade dos rumos econômicos do País, o relatório afirma que, se as incertezas diminuírem e os planos para as reformas avançarem, os investimentos voltarão a crescer.

A projeção de 2,1% da OCDE é menor do que a prevista pelo mercado financeiro brasileiro, que estima alta de 2,5% no PIB do Brasil em 2019, segundo o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central (BC) na última segunda-feira (19).

Quanto ao crescimento da economia para 2018, a organização internacional manteve sua expectativa em 1,2%, a mesma publicada em setembro. Para os investidores brasileiros, também de acordo com o Boletim Focus, a projeção do PIB para o fim deste ano é de 1,36%.

Projeção para economia brasileira não foi a única reduzida

Além da economia brasileira, outros países tiveram suas projeções de PIB reduzidas. Os Estados Unidos, no entanto, permaneceu estável
shutterstock
Além da economia brasileira, outros países tiveram suas projeções de PIB reduzidas. Os Estados Unidos, no entanto, permaneceu estável


O Brasil não foi o único que apresentou cortes na estimativa de crescimento. A OCDE também diminuiu as projeções do crescimento mundial para o ano que vem.

Segundo o relatório, é esperado um crescimento de 3,5% no PIB mundial para 2019. Da última vez em que foi medida, em junho, a estimativa era de 3,9%. Para 2018, a projeção global continua em 3,7%.

De acordo com a organização, a redução no crescimento é motivada por três fatores: as tensões comerciais; a alta das taxas de juros nos Estados Unidos, que foi mais forte do que o esperado e pode penalizar os países emergentes, e uma desaceleração da economia da China. Por isso, a instituição pede para que os governos se preparem para "tempos mais difíceis" e que "reforcem sua cooperação”.

Leia também: Queda do PIB em 2016 foi menor do que a divulgada, segundo revisão do IBGE 

Além de diminuir a expectativa de crescimento da economia brasileira , a OCDE também reduziu os PIBs da China, que ficou com previsão de 6,6% em 2018 e 6,3% em 2019 e da Zona do Euro, que deve crescer 1,9% neste ano e 1,8% no próximo. As projeções para a economia dos Estados Unidos, no entanto, permanecerem as mesmas: 2,9% para 2018 e 2,7% em 2019.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.