Tamanho do texto

Valor total de lucro do banco federal no período entre julho e setembro foi de R$ 4,8 bilhões; soma anual já supera resultado projetado para este ano

Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira (14) seu lucro líquido do terceiro trimestre, que foi de R$ 4,8 bilhões
Antonio Cruz/Agência Brasil
Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira (14) seu lucro líquido do terceiro trimestre, que foi de R$ 4,8 bilhões

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira (14) que teve lucro líquido de R$ 4,8 bilhões no terceiro trimestre, valor 122% maior do que os R$ 2,17 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

Leia também: No terceiro trimestre, bancos brasileiros crescem e têm maior lucro desde 2006

No valor anual, o banco acumula lucro líquido recorde de R$ 11,5 bilhões entre os três primeiros trimestres, que representam uma alta de 83,7% na comparação com o ano passado. Segundo a Caixa , esse resultado já faz o banco superar o resultado projetado para o ano – R$ 9 bilhões – antes mesmo dos últimos três meses.

Entre os resultados de terceiro trimestre de 2016 e 2018, o aumento acumulado já é de 239%, passando de menos de R$ 1 bilhão (R$ 998 milhões) para os R$ 4,8 bilhões registrados no período neste ano.

Nelson de Souza, presidente do banco estatal, afirmou em entrevista coletiva que o lucro do terceiro trimestre coloca o banco no segundo melhor resultado de todas as estatais brasileiras no período. “Esses resultados estão sendo criados de maneira totalmente orgânica."

A carteira de crédito somou R$ 693,8 bilhões no mês de setembro, uma redução de 2,6% na relação feita com base em 12 meses, o que é um retrato da estratégia da Caixa para adequar-se às regras de estrutura de capital de Basileia III. No entanto, Habitação e infraestrutura, carteiras de menor risco, cresceram.

Leia também: Eletrobras tem prejuízo de R$ 1,6 bilhão no terceiro trimestre

O banco mantém a liderança no crédito imobiliário , tendo 69,5% de participação no segmento. O saldo da carteira habitacional cresceu 2,7% em 12 meses, somando R$ 440,5 bilhões.

Segundo a divulgação, os números relacionados ao setor imboliário se devem ao aumento de 12,1% do subsídio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para a linha de imóveis.

O índice de inadimplência em setembro, segundo a divulgação da Caixa, foi de 2,44% em setembro, queda de 0,28 pontos percentuais na comparação com o mesmo mês do ano passado, e 0,05 pontos abaixo do índice de junho de 2018, mês que encerra o segundo trimestre. As despesas com provisão para crédito de liquidação duvidosa recuaram 27,2% no resultado dos últimos 12 meses.

Leia também: Mercado reduz projeção pela terceira vez consecutiva e espera inflação em 4,23%

O aumento de lucro da Caixa Econômica acompanha a tendência dos quatro maiores bancos atuantes no Brasil, que são Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander e tiveram crescimento impulsionado especialmente pelo crescimento das receitas com tarifas e prestação de serviços, menores despesas com provisões para calotes e menor custo do crédito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.