Tamanho do texto

Nas exportações, se destacaram a soja e o minério de ferro; nas importações, os combustíveis e os bens intermediários puxaram o crescimento

No acumulado dos oito primeiros meses de 2018, segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a balança comercial já registra superávit de US$ 37,811 bilhões
Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil
No acumulado dos oito primeiros meses de 2018, segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a balança comercial já registra superávit de US$ 37,811 bilhões

Em agosto, segundo dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,775 bilhões. Resultado, o pior para o mês desde 2015 (US$ 2,685 bilhões), é 32,5% menor do que o verificado no mesmo período do ano passado (US$ 5,592 bilhões).

Leia também: Contas públicas registram déficit de R$ 3,401 bilhões em julho

No acumulado dos oito primeiros meses de 2018, a balança comercial já registra superávit de US$ 37,811 bilhões. O valor é 21,8% inferior ao anotado no mesmo período do ano passado.

Segundo o MDIC, o recuo do saldo da balança no mês passado é consequência do maior crescimento das importações em relação às exportações. As vendas externas somaram US$ 22,552 bilhões, uma alta de 15,8% em relação a 2017, enquanto as importações cresceram 35,3% e chegaram a US$ 18,777 bilhões.

Balança comercial por setor

Balança comercial: no último mês, as exportações de produtos básicos subiram 16,4%, com destaque para o farelo de soja (46%) e a soja em grão (43,7%)
Divulgação/Ministério da Agricultura
Balança comercial: no último mês, as exportações de produtos básicos subiram 16,4%, com destaque para o farelo de soja (46%) e a soja em grão (43,7%)

O secretário de Comércio Exterior do MDIC, Abrão Neto, destacou que o país bateu recordes, tanto em valor quanto em quantidade, nas exportações de soja em agosto. O petróleo bruto, o minério de ferro, os aviões e as plataformas de petróleo também tiveram resultado positivo no período.

Leia também: PIB do Brasil cresce 0,2% no segundo trimestre de 2018, aponta IBGE

No último mês, as exportações de produtos básicos subiram 16,4%, com destaque para o farelo de soja (46%), a soja em grão (43,7%) e o minério de ferro (43,1%). As vendas de manufaturados também cresceram (35,1%) em relação a 2017, tendo a exportação de uma plataforma de petróleo para o Panamá como carro-chefe.

As exportações de semimanufaturados, porém, caíram 24,2%, puxadas principalmente pelos produtos de ferro e aço (-85,2%), açúcar bruto (-48,3%) e couros e peles (-31,2%).

Em relação às importações, as compras de bens de capital (como máquinas e equipamentos usados na produção, por exemplo) aumentaram 158,2% ante agosto do ano passado. Também subiram as importações de combustíveis e lubrificantes (55,4%), bens intermediários (16,2%) e bens de consumo (13,7%).

Leia também: Mercado reduz estimativa da inflação para 4,16% e a do PIB para 1,44%, diz Focus

Projeções

Para 2018, por causa da estabilização do preço dos bens primários e da recuperação da economia, o MDIC manteve a estimativa de superávit da balança comercial em torno de US$ 50 bilhões
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Para 2018, por causa da estabilização do preço dos bens primários e da recuperação da economia, o MDIC manteve a estimativa de superávit da balança comercial em torno de US$ 50 bilhões

Em 2017, a balança comercial fechou o ano com superávit recorde de US$ 67 bilhões, muito beneficiada pela supersafra e pela valorização das commodities. Para este ano, por causa da estabilização do preço dos bens primários e da recuperação da economia, o MDIC manteve a estimativa de superávit em torno de US$ 50 bilhões.


*Com informações da Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.