Tamanho do texto

Segundo dados do governo, a matriz hidráulica segue como maior geradora de eletricidade, respondendo por 63,7% do total produzido no período

Em junho, as fontes renováveis de geração de energia elétrica representaram 81,9% da capacidade instalada e 87,8% da produção total verificada no país
Reprodução
Em junho, as fontes renováveis de geração de energia elétrica representaram 81,9% da capacidade instalada e 87,8% da produção total verificada no país

Em junho, as fontes renováveis de geração de energia elétrica representaram 81,9% da capacidade instalada e 87,8% da produção total verificada no país. Os dados constam no Boletim de Monitoramento do Sistema Elétrico divulgado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) na última quinta-feira (16).

Leia também: Ministro defende corte de subsídios na conta de luz para deixá-la "mais justa"

No período, a capacidade instalada total do Brasil atingiu 160.381 MW (megawatts). O número também considera informações referentes à geração distribuída, isto é, quando a fonte de energia elétrica é conectada diretamente à rede de distribuição ou ao próprio consumidor (como painéis solares instalados no telhado de sua casa, por exemplo).

Perfil da energia

Segundo dados do governo, as usinas eólicas corresponderam a 8,1% da energia produzida no período analisado
Reprodução
Segundo dados do governo, as usinas eólicas corresponderam a 8,1% da energia produzida no período analisado

A matriz hidráulica segue como a maior fonte geradora de energia elétrica, respondendo por 63,7% de toda a energia produzida em junho deste ano. Em seguida, com 9,1%, aparecem as usinas de biomassa, que utilizam material orgânico para produzir eletricidade.

Esta última está em constante crescimento e já conta com 561 usinas espalhadas pelo Brasil atualmente. No país, são utilizados os mais diferentes combustíveis da classe biomassa para a geração de eletricidade, como bagaço de cana, cascas de arroz, resíduos de madeira, carvão vegetal e até óleo de palmiste.

As usinas eólicas , por sua vez, corresponderam a 8,1% da energia produzida no período analisado. As usinas solares vêm atrás, com 1%.

Leia também: Conta de luz ficará mais cara em todo Brasil até o fim do ano, dizem ONS e Aneel

Proporção

As fontes geradoras de energia solar, apesar do volume total de capacidade instalada menor, cresceu 577% de um ano para cá e alcançou a marca de 1.602 MW
Pedro Gontijo
As fontes geradoras de energia solar, apesar do volume total de capacidade instalada menor, cresceu 577% de um ano para cá e alcançou a marca de 1.602 MW

Em comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o MME, houve um crescimento de 7.401 MW em termos de capacidade instalada. Deste total, 3.450 MW correspondem à geração hidráulica, 2.219 MW vêm das usinas eólicas, 1.365 MW são de fontes solares e 524 MW são provenientes das usinas de biomassa.

“No período de um ano, a geração hidráulica registrou aumento de 3,5% na capacidade instalada, atingindo 102.228 MW”, informou o Ministério. “A fonte eólica cresceu 20,7%, registrando 12.931 MW. A de biomassa aumentou 3,7% e soma 14.657 MW. A solar, apesar do volume total menor, cresceu 577% e alcançou 1.602 MW”, completou.

Leia também: Google compra 3 gigawatts de energia renovável para zerar sua pegada de carbono

O boletim aponta, ainda, que houve uma diminuição de 1,8% da capacidade instalada das usinas que utilizam petróleo e 0,4% das usinas movidas a carvão. Já a geração distribuída fechou o mês de junho com 378 MW instalados em 31.332 unidades, representando 0,2% da matriz de geração de energia elétrica.


*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.