undefined
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Empresários dos setores do comércio e serviços promoveram evento com Geraldo Alckmin e outros candidatos

Os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Ciro Gomes (PDT) e o candidato à vice-presidência Fernando Haddad (PT), representando o candidato Luiz Inácio Lula da Silva , participaram do evento "Diálogo Eleitor Unecs" nessa terça-feira (14), promovido pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unescs), composta por oito instituições dos setores.

Leia também: Henrique Meirelles ataca atual sistema de Previdência Social: "É injusto"

No encontro, os presidenciáveis apresentaram suas propostas para a retomada da economia, especialmente para a modernização do ambiente de negócios para uma plateia de empresários dos setores de comércio e de serviços. Confira como foi o debate com  Geraldo Alckmin :

Geraldo Alckmin quer zerar o déficit público em dois anos

undefined
Montagem iG/TV Bandeirantes
Confira as melhores frases do debate da Band

Na sua participação, o candidato do PSDB à Presidência destacou que o Brasil está passando pelo sexto ano consecutivo de déficit das contas públicas, o que para ele significa que "a União não paga dívidas e também não investe", por isso, Alckmin afirmou que tem a intenção de zerar o déficit público primário nos dois primeiros anos de um eventual governo.

Para fazer isso, porém, o candidato defendeu a agenda de reformas, com ênfase na tributária, na reforma da previdência e na reforma política, para dar competitividade à economia nacional.

Leia também: Candidato Alvaro Dias defende corte de 10% dos gastos públicos já em 2019

"O Brasil é uma País que ficou caro. Perdeu competitividade, perdeu investimento e caiu em participação no mercado exterior. Com as reformas, atrairemos os investimentos necessários", afirmou Alckmin antes de acrescentar que tem a intenção de reduzir o imposto de renda de pessoas físicas.

Quando foi convidado a esmiuçar as suas propostas de reforma, o candidato afirmou que defenderá uma reforma política com adoção do voto distrital misto e de redução dos partidos; uma reforma da previdência  que corrija as desigualdades do atual sistema; e uma reforma tributária que simpliquei o sistema tributário e substitua cinco impostos pelo Imposto Sobre Valor Agregado (IVA).

O ex-governador de São Paulo falou ainda sobre uma reforma do Estado, com dimunuição de gastos públicos com pessoal e corte de despesas desnecessárias, como alugueis de prédios, aviões e carros oficiais. "O déficit de R$ 140 bilhões anuais será eliminado com a redução do gasto público", avaliou.

Leia também: Em encontro com empresários, Fernando Haddad defende reforma no sistema bancário

Antes de finalizar, Geraldo Alckmin ainda mencionou que defende a elaboração de metas anuais para mensurar a eficiência do governo federal na área econômica e no que diz respeito à contenção dos gastos públicos.

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

      Mostrar mais