Tamanho do texto

Pesquisa aponta que consumidores devem ficar atentos durante as compras natalinas; diferença de preços entre produtos da ceia pode chegar a 189,7%

Segundo o Procon, o mesmo panetone foi encontrado por R$ 9,99 e R$ 20,99 em diferentes regiões da capital paulista
Pixabay
Segundo o Procon, o mesmo panetone foi encontrado por R$ 9,99 e R$ 20,99 em diferentes regiões da capital paulista

O preço de produtos natalinos contam com variação significativa em lojas da mesma região. Os consumidores que não pesquisarem antes de comprar itens da ceia de Natal têm boas chances de perder dinheiro. O panetone, por exemplo, registra diferença de 110,1% entre as lojas com a oferta mais cara e a mais barata, segundo pesquisa realizada entre 1º e 5 de dezembro pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça do Estado de São Paulo.

Leia também: Camada 1% mais rica da população brasileira detém 28% da riqueza do País

O panetone com tal variação foi o de Frutas Cristalizadas e Uvas Passas de 400 g, vendido pela Casa Suíça. Segundo o  Procon , o produto foi encontrado por R$ 9,99 em um estabelecimento da Zona Leste da capital paulista. Enquanto isso, uma loja na Zona Oeste vendia o mesmo item por R$ 20,99. A maior diferença de preço foi registrada pela azeitona verde Raiolita de 200 g, da marca Raiola.

Leia também: Receita paga hoje o último lote de restituições do Imposto de Renda

O item teve variação de 189,7% e era vendido por R$ 4,38 em um supermercado. Em outro estabelecimento, o mesmo produto foi comercializado por R$ 12,69. O levantamento listou os preços de 122 produtos comuns entre pesquisas realizadas neste ano e no ano passado. Na comparação entre os dois períodos, há uma queda de 3,88% no preço desses itens.

Dicas para as compras de Natal

Pensando em ajudar os consumidores a reduzirem o risco de comprar produtos desnecessários, especialistas do Procon recomendam um planejamento do cardápio da ceia que será servida no Natal, listando alimentos, bebidas e ingredientes para o preparo. Outra recomendação é ler embalagens e rótulos dos produtos para se certificar das características, condições de conservação e a data de validade.

Leia também: Após assinatura, acordo sobre planos econômicos é usado em tentativa de golpe

O Procon lembra, ainda, que promoções divulgadas por estabelecimentos devem sempre ser cumpridas. Para garantir que os preços anunciados serão praticados, é aconselhável guardar os folhetos e anúncios publicitários que comprovem as ofertas. Ao passar os produtos pelo caixa, observe os valores que estão sendo registrados. Caso haja qualquer diferença entre o preço cobrado e o que estava informado na gôndola, prevalece o menor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.