Tamanho do texto

Empresa fez investimento com base na contribuição do país na área; segundo pesquisadora, autores chineses contribuíram com 43% do conteúdo na área

Brasil Econômico

O Google já conta con grupos de pesquisa instalados em cidades como Nova Iorque, Toronto, Londres e Zurique
shutterstock
O Google já conta con grupos de pesquisa instalados em cidades como Nova Iorque, Toronto, Londres e Zurique

O Google abriu oficialmente um centro de Inteligência Artificial (IA) em Pequim, capital da China, lar de algumas dos pesquisadores mais renomadas no campo, o que contribui para uma das maiores empresas de tecnologia do mundo decidir se instalar onde grande parte da ação acontece.

Leia também: Com a bolha do mercado, moeda digital Litecoin é negociada a US$ 312

Em uma postagem no blog do Google, Fei-Fei Li, cientista-chefe da IA para o aprendizado de máquinas da empresa, explicou: "os autores chineses contribuíram com 43% de todos os conteúdos nas 100 principais revistas da IA ​​em 2015". A equipe será liderada por Li, que passou a trabalhar na companhia após atuar como diretora do Laboratório de Inteligência Artificial da Universidade de Stanford.

Segundo o blog, o novo centro se concentrará publicará o seu próprio trabalho, ao mesmo tempo em que apoiará a comunidade, financiando e patrocinando conferências e workshops. O centro de Pequim se junta aos outros grupos de pesquisa do Google espalhados por todo o mundo, em cidades como Nova Iorque, Toronto, Londres e Zurique.

Leia também: Maduro recorre à moeda digital "El Petro" para resolver crise na Venezuela

"Eu acredito que a IA e seus benefícios não têm fronteiras. Se um avanço ocorre no Vale do Silício, em Pequim ou em qualquer outro lugar, ele tem o potencial de melhorar a vida de todos para o mundo inteiro", diz Li. A cientista diz que o centro já contratou alguns especialistas de destaque no campo. A página de carreiras da empresa lista cerca de 20 posições disponíveis no centro, que vão desde pesquisadores estudantis até engenheiros e gerentes de programas.

Negócios da Inteligência Artificial

O Baidu, descrito como o Google da China, conta com três laboratórios de pesquisa de IA que trabalham em uma variedade de tecnologias, incluindo assistentes domésticos e carros autônomos. Dois outros gigantes tecnológicos no país, Tencent e Alibaba também estão lutando pelos recursos intelectuais limitados no país.

Ao mesmo tempo, a Tesla de Elon Musk está investindo fortemente em IA para impulsionar o futuro da empresa em veículos autônomos. Recentemente, Musk confirmou que a Tesla trabalha com o antigo arquiteto da AMD, Jim Keller, para criar hardware personalizado para seus sistemas de IA. Musk acredita que o desenvolvimento da IA ​​da empresa permitirá a condução de veículos autônomos por máquinas em apenas dois anos. 

Leia também: Confira 10 dicas para ajudar seu negócio nas redes sociais

Musk também iniciou sua própria empresa de pesquisa de IA, a OpenAI, dedicada ao desenvolvimento de inteligências amigáveis ​​que beneficiarão a humanidade. Este esforço provavelmente é alimentado pelos próprios medos de Musk sobre o que a tecnologia pode desenvolver se não for regulamentada. Mais recentemente, o empresário disse que há apenas "uma chance de sucesso de 5% a 10%" no desenvolvimento de IA segura.

O Google, estendendo o braço à rica cultura de IA na China, tem o potencial de enriquecer o impacto da empresa no campo. O desenvolvimento da área certamente tem o potencial de beneficiar toda a humanidade, então qualquer esforço para envolver mais mentes de diferentes origens é um passo na direção certa.

* Com tradução de futurism.com.

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.