Tamanho do texto

"Não dê ouvidos aos Bernard, não há apenas favelas, drogas e prostitutas no Brasil, há também um café muito bom", diz a frase. Depois do ocorrido, a empresa usou o Twitter e pediu desculpas pela "piada incompreendida"

Brasil Econômico

Rede de cafeterias  Bagelstein lamenta no Twitter pela
Reprodução/Twitter
Rede de cafeterias Bagelstein lamenta no Twitter pela "piada incompreendida"

A rede de cafeterias francesa  Bagelstein se tornou alvo de críticas por utilizar uma frase ofensiva e preconceituosa contra os brasileiros nos copos de seus estabelecimentos. "Não dê ouvidos aos Bernard, não há apenas favelas, drogas e prostitutas no Brasil, há também um café muito bom", diz o texto estampado nos copos entregues aos consumidores.

Leia também: Investimentos: usando os indicadores econômicos ao seu favor!

De acordo com a imprensa francesa, a rede de cafeterias é conhecida por gerar diversas polêmicas na hora de divulgar seus produtos e ofertas. Um exemplo disso pode ser visto no site da própria Bagelstein, que utiliza a frase "pare de comer merda" como slogan da marca.

Fundada por Thierry Veil e Gilles Abecassis, a Bagelstein abriu sua primeira loja em Estrasburgo, no norte da França, em 2011. Atualmente, a rede conta com mais de 75 franquias na França, em Luxemburgo, Alemanha, Suíça e Bélgica.

Posicionamento brasileiro

A Embaixada do Brasil em Paris se posicionou e criticou a postura da empresa por meio de uma nota publicada no Facebook, em que lamenta a ação da empresa. "A rede Bagelstein Beaux & Frères utiliza, em seus copos de café, dizeres pejorativos a nosso povo e a nosso país. Infelizmente, a Embaixada não tem como impedir que uma empresa se escude em algo que alega ser uma 'brincadeira' para veicular ofensas, que dentre outros aspectos, reforçam estereótipos altamente ultrajantes às mulheres brasileiras”.

Leia também: Acordo sobre planos econômicos das décadas de 80 e 90 será protocolado no STF

A Embaixada também alegou que enviará uma nota de repudio à direção da empresa. "Nossa ação será enviar um protesto formal à direção dessa empresa que não nos tratou com o respeito e a dignidade que merecemos", expõe o comunicado.

Repercussão

No Twitter, a Bagelstein também se pronunciou por meio de uma nota. Segundo a cafeteria francesa, o episódio foi uma "piada incompreendida". A empresa declara que a intenção era exibir uma sátira com um apresentador chamado Bernard, que evidenciaria apenas "os lados ruins da América do Sul".

"Uma piada incompreendida não pode fazer você rir. Queríamos gozar com o espírito condescendente de uma televisão de baixo nível e dizer que também há um bom café, e claro, muitas outras coisas maravilhosas no Brasil. 1.000 desculpas se não nos compreenderam", aponta o esclarecimento da empresa.

Leia também: Com materiais sustentáveis, empresa cria móveis que não agridem o meio ambiente

No mesmo tuíte onde a rede de cafeterias tenta se desculpar, consumidores criticam a postura da mesma: “Dizer que nós não entendemos não é pedir desculpas! Xenofóbicos!”, afirmou uma consumidora. “Ridículo”, “grotesco”, “perderam um cliente”, tuítaram outras pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.