Tamanho do texto

Por volta das 12h43, a Bovespa caía 1,19%, aos 73.475 pontos. As ações ordinárias de nível 1 da Vale estavam entre as mais negociadas do pregão

Brasil Econômico

Bovespa recua novamente, com influência do cenário político nacional
shutterstock
Bovespa recua novamente, com influência do cenário político nacional

Nesta quinta-feira (9), o Índice da Bovespa (Ibovespa) operou em queda, após registrar alta na cotação anterior, dando espaço para possíveis ajustes, com a divulgação de balanços importantes para a economia nacional. Os investidores ainda permanecem cautelosos em relação aos investimentos, principalmente pela expectativa dos próximos passos na agenda de reformas, em especial da reforma da Previdência.

Leia também: Negócios: Conheça o aplicativo que calcula a eficiência logística de um imóvel

Por volta das 12h43, a Bovespa caía 1,19%, aos 73.475 pontos. As ações ordinárias de nível 1 (ON N1) da Vale estavam entre as mais negociadas do pregão, com baixa de 2,12%, assim como as ações preferenciais (PN) da Petrobras, que recuavam 1,18%. Por outro lado, a JBS ON subia 3,57%. A Eletrobras, o Itaú e o Bradesco também apresentaram quedas.

Reforma da Previdência

Na terça-feira (7), o presidente Michel Temer divulgou um vídeo, onde afirmou estar otimista acerca da negociação da reforma da Previdência, após ter alegado na noite de segunda-feira (6) que o desenvolvimento da proposta não seria viável. Na quarta-feira (8), ele se reuniu com ministros, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com deputados para discutirem a proposta, que o governo estima votar ainda este ano.

Vale mencionar que a reação dos mercados após a afirmação anterior do presidente foi imediata, com alta no dólar e nos juros futuros, e com recuos sendo registrados na bolsa. Tal resultado fez com que Temer e sua equipe passassem a adotar um novo discurso, que objetiva reverter a ideia de estagnação sobre a proposta.

Leia também: M.Officer é condenada por trabalho escravo e pode ter atuação suspensa em SP

Cotações anteriores

Na segunda, a bolsa paulista subiu 0,24%, aos 74.090 pontos, influenciada pelo cenário político nacional e interrompendo a queda mais acentuada desde maio, abaixo dos 73 mil pontos. No mesmo dia, houve a estimativa do Boletim Focus, que mostrou o mantimento das projeções dos principais indicadores econômicos brasileiros, pelo mercado financeiro.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referente a inflação, ficou em 3,08%, com a mesma estimativa da semana passada. Enquanto a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) permaneceu a mesma, com expectativa de crescimento de 0,73% este ano e de 2,5% para 2018. Em relação à taxa básica de juros (Selic), as estimativas foram estáveis, com previsão de que encerre este ano em 7%.

Já na terça-feira (7) o Ibovespa  apresentou queda de 2,55%, aos 72.414 pontos - menor patamar desde 5 de setembro, quando marcou 72.150 pontos. As especulações acerca da reforma da Previdência tiveram grande impacto nesse pregão, com decréscimos nas ações da Vale, Petrobras, Itaú, Usiminas e Gerdau. Na quarta-feira, a Bovespa voltou a crescer, com mais 2,69%, aos 74.363 pontos, após o vídeo de Temer.

Leia também: Feirão Limpa Nome tem adesão de 3,9 milhões de consumidores em dois dias

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.