Tamanho do texto

AGZ alcançou este nível de especialização inteiramente por si só, sem ajuda de pesquisadores; Equipe diz que ignorar entrada humana é uma vantagem

Brasil Econômico

A DeepMInd tem feito avanços incríveis no campo da Inteligência Artificial (IA). A tecnologia do Google já é capaz de criar imagens baseadas em frases, jogar StarCraft e explorar ambientes estranhos. Além disso, também desenvolveu memória e está imaginando soluções para problemas.

Leia também: Após testes, Google e Waymo focam em carros auto-dirigíveis; veja

DeepMind: o que realmente impressiona é que a AGZ poderia ter ido ainda mais longe no desenvolvimento de suas habilidades
shutterstock
DeepMind: o que realmente impressiona é que a AGZ poderia ter ido ainda mais longe no desenvolvimento de suas habilidades

AlphaGo , IA criado pela DeepMind , foi desenvolvida para ganhar o jogo mais antigo do mundo: O Go; game esse incrivelmente popular conhecido por ser mais complexo do que o xadrez. Qual o melhor jogo para testar uma IA?

A AlphaGo aprendeu a jogar o game chinês ao estudar milhares de partidas de Go de jogadores de todos os níveis de habilidade. Ela superou os campeões reinantes, incluindo Lee Sedol, que ganhou 18 títulos mundiais. Uma versão posterior do IA, AlphaGo Zero (AGZ), aprendeu a jogar desafiando-se a jogos. A AGZ conseguiu ganhar um jogo contra o Alpha Go, tornando-se indiscutivelmente o melhor jogador Go do mundo.

Leia também: Inteligência Artificial do Google pretende unir pessoas e máquinas

Encontrando limites

É impressionante que a AGZ tenha alcançado este nível de especialização inteiramente por si só, sem ajuda ou contribuição de pesquisadores. A equipe salienta que ignorar o estágio de entrada humana é uma vantagem: “para alguns problemas, esse conhecimento humano pode ser muito caro, pouco confiável ou simplesmente não disponível”. No entanto, o que é realmente impressionante é que a AGZ poderia ter ido ainda mais longe no desenvolvimento de suas habilidades.

O CEO e cofundador da DeepMind, Demis Hassabis, disse sobre a AGZ na conferência do Go North do Google, que:  “Nós nunca encontramos o limite de quão boa esta versão do AlphaGo poderia ir. Nós precisávamos dos computadores para outra coisa”.

A AGZ poder ser ativada novamente, o que poderia ajudar os jogadores humanos de Go a aprender novos movimentos e estratégia. A IA da DeepMind também pode ser redirecionada para outras atividades. Os pesquisadores dizem que essas tarefas podem ser tão variadas como “dobradura de proteínas, redução do consumo de energia ou busca de novos materiais revolucionários”. A AGZ tem potencial para criar uma sociedade melhor e esta esquipe está comprometida em desenvolvê-la ainda mais.

Leia também: Conheça o processador da Intel construído para redes neurais

*Com tradução de futurism.com

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.