Brasil Econômico

O turismo do Rio de Janeiro registrou uma perda de R$ 657 milhões entre janeiro e agosto de 2017 por conta da criminalidade. O dado foi divulgado nesta terça-feira (31) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo o levantamento, o montante perdido por conta da violência equivale ao faturamento de 8,9 dias do setor no estado.

Leia também: Black Friday terá adesão de três em cada dez consumidores, diz pesquisa

O segmento de bares e restaurantes foi responsável por mais da metade do prejuízo do setor de turismo , com redução de R$ 332,1 milhões em seu faturamento. Também registraram perda os segmentos de transportes, agências de viagem e locadoras de veículos (R$ 215,5 milhões ou 32,6% do total); hotéis, pousadas e similares (R$ 97,7 milhões ou 14,8%); e atividades culturais e de lazer (R$ 14,7 milhões ou 2,2%).

Segmento de bares e restaurantes respondeu por mais da metade do prejuízo do setor de turismo entre janeiro e agosto
Ricardo Stuckert/Fotos Públicas
Segmento de bares e restaurantes respondeu por mais da metade do prejuízo do setor de turismo entre janeiro e agosto

Leia também: Copom afirma que juros podem cair abaixo de 7% ao ano em 2018

Você viu?

A violência foi responsável por 29% da perda total de faturamento do setor, que chegou a R$ 2,3 bilhões nos primeiros oito meses do ano. Entre outros fatores que impactam o segmento, está a atual conjuntura econômica do País. Para Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC, a pior do mercado brasileiro até o início do ano limitou a capacidade de consumo por parte dos turistas nacionais, que precisam reduzir os gastos com lazer para equilibrar o orçamento doméstico.

"Mesmo com a reação lenta do emprego e a queda da inflação nos últimos meses, ainda não vemos os efeitos da retomada na demanda por serviços turísticos", analisa. Projeções da CNC indicam que, para cada aumento de 10% na criminalidade, a receita bruta das empresas que compõem a atividade turística no estado recua, em média, 1,8%. Segundo o estudo, a sensibilidade ao aumento da violência no estado é maior nos segmentos mais dependentes do setor.

Leia também: Desemprego recua para 12,4%; melhor resultado no ano, segundo o IBGE

Categorias como hospedagem e transporte chegam a registrar retrações médias de 1,9% e 2,0%, respectivamente. Nos segmentos de alimentação e serviços culturais e de lazer, mais ligados à prestação de serviços a residentes, a queda é de 1,7% e 1,5%, respectivamente. Entre janeiro e setembro de 2017, o setor de turismo perdeu 10.237 postos de trabalho com carteira assinada. No mesmo período do ano passado, 6.823 postos haviam sido fechados.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários