Desemprego: Brasil somou mais  de 13 milhões de pessoas desocupadas no mês de setembro
Thinkstock
Desemprego: Brasil somou mais de 13 milhões de pessoas desocupadas no mês de setembro


Pesquisa Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE ), divulgada nesta terça-feira (31), apontou que o índice de desemprego ficou em 12,4% no trimestre encerrado no mês de setembro. No total, no mês de referência da pesquisa, 13 milhões de brasileiros não tinham ocupação.

Leia também: Novo salário mínimo é baseado em lei, afirma Meirelles

Na comparação com o trimestre anterior – de abril a junho – quando o índice de desemprego era de 13%, pode-se dizer que houve queda de 0,6 ponto percentual (p.p.) no número de pessoas sem ocupação no País.

Segundo o IBGE, a população desocupada, atualmente em 13 milhões, teve queda de 3,9%, ou seja, menos 524 mil pessoas em relação ao trimestre anterior. Na comparação com igual trimestre de 2016, quando havia 12 milhões de desocupados, houve alta de 7,8%, com mais 939 mil de pessoas sem emprego no País.

Você viu?

Foi explicado que a queda no índice continua a ser influenciado pelo aumento do mercado informal de trabalho .  Dos 91,3 milhões de pessoas ocupadas no trimestre que foi encerrado em setembro, 22,9 milhões trabalham por conta própria atualmente. Isso representa crescimento de 1,8% ao se comparar com o trimestre encerrado em junho. Somado a isso, foi identificado que 10,9 milhões de empregados no setor privado trabalham sem carteira assinada no País.

A quantidade de empregadores, 4,2 milhões, ficou praticamente igual em relação aos trimestres anteriores. A categoria dos trabalhadores domésticos também não teve alteração e foi estimada em 6,2 milhões de pessoas.

“O contingente na força de trabalho, (pessoas ocupadas e desocupadas) no trimestre de julho a setembro de 2017, foi estimado em 104,3 milhões de pessoas. Observou-se que esta população apresentou elevação de 0,5% (mais 536 mil pessoas), quando comparada com o trimestre de abril a junho de 2017. Frente ao mesmo trimestre do ano anterior, houve expansão de 2,4% (acréscimo de 2,4 milhões de pessoas)”, conforme análise do IBGE.

Renda

A pesquisa do Pnad também analisou a renda das pessoas que estão ocupadas no País atualmente. Foi identificado que o rendimento médio real foi de R$ 2.115 no trimestre  (julho a setembro). O valor mostrou estabilidade ao ser comparado com o trimestre anterior, encerrado em junho, quando a renda era de R$ 2.108. Já, quando comparada com o mesmo período do ano passado, a renda mostrou-se pouco maior, já que no período o valor era de R$ 2.065.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles , afirmou na segunda-feira (30) que o desemprego teve queda significativo no País e que isso tem ajudo na recuperação econômica brasileira. 

Leia também: Governo revê orçamento e reajuste do salário mínimo será menor em 2018

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários