O presidente Michel Temer comemorou em sua conta no Twitter a queda da inflação é uma consequência da política econômica adotada por seu governo. Em publicação, ele comemorou o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgado nesta sexta-feira (6). O indicador fechou o mês de setembro com alta de 0,16%, abaixo dos 0,19% registrados no mês de agosto. Em setembro de 2016, a elevação foi de 0,08%. 

Leia também: IPCA varia 0,16% em setembro, com menor acumulado no ano desde 1998

No acumulado dos primeiros nove meses do ano, o IPCA, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumula variação de 1,78%, abaixo dos 5,51% registrados nos mesmo período de 2016. " Inflação acumulada no ano é a mais baixa em 19 anos. Reflexo da política econômica adotada quando asusmi o governo", registrou Temer. Esta é a menor taxa para o intervalo entre janeiro e setembro desde 1998, quando o IPCA registrou 1,42%.

Em sua conta no Twitter, Temer afirmou que queda da inflação foi causada por política adotada quando assumiu o governo
Antonio Cruz/Agência Brasil - 23.8.17
Em sua conta no Twitter, Temer afirmou que queda da inflação foi causada por política adotada quando assumiu o governo

Leia também: Valor médio do m² de imóveis em SP sobe pelo 2º trimestre seguido, diz pesquisa

Em setembro, dos nove grupos analisados pelo indicador, somente alimentação e bebidas (-0,41%) e habitação (-0,12%) apresentaram recuo. Entre os grupos com alta de preços, o destaque ficou com a área de transportes, com alta de 0,79%. O índice apresenta alta acumulada de 2,54% para o acumulado dos últimos 12 meses. O resultado é superior aos 2,46% registrados nos 12 meses anteriores. Ainda assim, está abaixo da meta de 4,5% fixada pelo governo para o fim de 2017.

Você viu?

Combustíveis evitam queda maior na inflação

A alta no preço dos combustíveis impediu uma queda ainda maior no IPCA em setembro. Os produtos da categoria apresentaram variação média de 1,91% no período. O litro da gasolina, por exemplo, subiu 2,22% em relação ao mês anterior. O crescimento é apontado como um resultado da nova política de reajuste de preços de combustíveis – praticamente diário –, implementado recentemente pela Petrobras.

Leia também:  Metade dos brasileiros está com empréstimo ou financiamento atrasado

A empresa tem acompanhado a volatilidade dos preços no mercado externo. A alta de 0,79% no grupo de transportes teve impacto de 0,1 ponto percentual na inflação para o mês. As passagens aéreas, com 0,07 ponto percentual de participação no índice, também apresentaram variação significativa nos preços entre agosto e setembro, com alta de 21,9%. 

Confira a publicação de Temer no Twitter:


* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários