Tamanho do texto

De acordo com levantamento do Tesouro Nacional, programa teve 54,6 mil novos cadastrados em julho; estoque cresceu 38,5% em relação a 2016

A aplicação no Tesouro Direto registrou novo recorde em julho. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (25) pelo Tesouro Nacional , o programa registrou pela primeira vez a marca de 1,539 milhão de investidores cadastrados no último mês. No período, foram 54.698 novos participantes. No acumulado para os últimos 12 meses, o crescimento no número de participantes é de 73,9%.

Leia também: Aposentados e pensionistas recebem 1ª parcela do 13º salário nesta sexta-feira

Apesar deste número, o número de investidores que efetivamente contam com alguma aplicação no Tesouro Direto  ficou em 12.970. Com isso, o programa agora conta com 520.624 investidores ativos. Para o acumulado os últimos 12 meses, há um crescimento de 61,9%. De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, foram realizadas 194.041 operações de investimento no programa em julho.

Em julho, título mais popular do Tesouro Direto é o indexado à taxa básica de juros, a Selic
Marcos Santos/USP Imagens
Em julho, título mais popular do Tesouro Direto é o indexado à taxa básica de juros, a Selic

Leia também: Reestruturação da BR com aporte de R$ 6,3 bilhões é aprovada pela Petrobras

O valor médio das aplicações foi de R$ 7.094,95. A aplicações de até R$ 1 mil são as mais frequentes e atingiram recorde de 54,1%. No período, as aplicações no Tesouro atingiram R$ 1,376 bilhão. Ao mesmo tempo, os resgates totalizaram R$ 1,060 bilhão. Deste valor, R$ 987,2 milhões são relativos às recompras e R$ 73,2 milhões, aos vencimentos.

Tesouro Selic é o mais popular

Segundo o levantamento do Tesouro Nacional, o título mais procurado pelos investidores é o indexado à taxa básica de juros (Tesouro Selic), cuja participação no volume total atingiu 43,1% em julho. Os títulos indexadso à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) corresponderam a 37,2% do total. Já os prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), a 19,7%.

Estoque

O estoque do programa chegou a R$ 47,3 bilhões, com crescimento de 38,5% em relação a julho de 2016. O títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume do estoque, alcançando R$ 29,7 bilhões (62,8% do total). Na sequência, estão os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 20,7%, e os títulos prefixados, com 16,4%.

Leia também: Confiança do consumidor recua em agosto e sinaliza pessimismo, diz FGV

A maior parte do estoque do Tesouro Direto (45,7%) é composta por títulos com vencimento entre um e cinco anos. Os títulos com prazo entre cinco a dez anos correspondem a 32,7% e os com vencimento acima de dez anos, a 17,1% do total. Ainda de acordo com o levantamento, apenas 4,4% dos títulos vencem em até um ano.

* Com informações da Agência Brasil.