Tamanho do texto

Expectativa de inflação para os próximos 12 meses recua 0,6 ponto, ao passar para 6,3%. Esse foi o menor nível desde 2012, quando registrou 6,2%

Brasil Econômico

FGV aponta queda de 3,5 pontos na inflação prevista pelos brasileiros na comparação anual
iStock
FGV aponta queda de 3,5 pontos na inflação prevista pelos brasileiros na comparação anual

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) divulgou nesta quinta-feira (24) recuo de 0,6 ponto, sofrido em agosto na expectativa de inflação para os próximos 12 meses. O resultado passou para 6,3%, menor nível desde 2012, quando registrou 6,2%.  Na comparação com o mesmo período no ano anterior, houve retração de 3,5 pontos percentuais da inflação prevista pelos brasileiros.

Leia também: Criada por Dom Pedro II em 1649, Casa da Moeda será vendida à iniciativa privada

“A contínua queda nos preços dos alimentos parece, finalmente, ter impactado de forma mais significativa a percepção de inflação pelos consumidores de menor poder aquisitivo. E a queda de 2,1 pontos da mediana das previsões de inflação realizadas por este grupo ocorre a despeito do aumento recente nos preços de combustíveis e de energia”, explicou a economista do Ibre/ FGV , Viviane Seda Bittencourt.

Levando em consideração a distribuição por faixa de inflação em agosto, houve novamente um aumento na incidência de respostas inferiores à meta da inflação do Banco Central (BC), com 4,5%. A taxa de consumidores que preveem inflação abaixo da meta subiu de 30,1% para 31,5%, na transição de julho para agosto.

Leia também: Publicada MP que libera saque do PIS/Pasep; valor começa a ser pago em outubro

Houve ainda redução na proporção de consumidores prevendo inflação acima de 12%. Em contrapartida, a incidência de previsões entre o limite superior atual de tolerância do regime de metas, de 6%, e 12%, passou a crescer, passando de 32% para 35% do total, após 14 meses de decréscimo.

A inflação estimada permaneceu estável em três das quatro faixas de renda. A queda do indicador nacional no mês foi destacada como consequência da redução de 2,1 pontos na inflação prevista pela faixa de renda familiar de até R$ 2.100 mensais. A inflação mais acentuada foi de 7,7%, de acordo com os consumidores com renda familiar entre R$2.100,01 e R$4.800. Já a mais baixa foi de 5%, prevista pelos consumidores de renda mais alta, acima de R$9.600.

IPC-S

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 22 de agosto deste ano apresentou variação de 0,33%, com 0,07 ponto percentual (p.p.) a menos em comparação ao último resultado divulgado. A FGV apontou recuos em quatro das sete capitais pesquisadas, sendo Salvador e Recife os maiores destaques.

Leia também: Hormel Foods compra operação da Ceratti por US$ 104 milhões