Tamanho do texto

Serasa traçou perfil de consumidores com contas em atraso; desemprego e recessão são apontados como responsáveis por alto nível de endividamento

Brasil Econômico

A faixa de renda entre um e dois salários mínimos possui o maior nível de inadimplência. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (6) pelo estudo da Serasa Experian, 39,1% dos consumidores com dívidas em atraso possuem renda neste intervalo. Em seguida estão as pessoas que ganham até um salário mínimo (38,8%) e entre dois e cinco salários mínimos (11,7%).

Leia também: Consumidor que pagar eletrônicos à vista pode economizar até 13%

A inadimplência de consumidores que ganham entre cinco e dez salários representa 5% do total e a dos que têm renda acima de dez salários, 5,4%. Segundo a pesquisa, a parcela com mais inadimplentes é a de consumidores que possuem entre 41 e 50 anos, com 19,4%. Em seguida, estão os jovens de 18 a 25 anos, que respondem por 14,9% do total.

Região Sudeste possui maior nível de inadimplência, com 45,2% do total de consumidores negativados
Marcos Santos/USP Imagens
Região Sudeste possui maior nível de inadimplência, com 45,2% do total de consumidores negativados

Leia também: Preço da cesta básica cai em 23 cidades pesquisadas pelo Dieese

Os números apontados pela pesquisa apontam que o mais comum entre os brasileiros é possuir uma conta em atraso. Do total de brasileiros pessoas com contas em atraso, 37,3% têm somente uma dívida. O percentual de consumidores com duas dívidas é de 19,9%. Em seguida, 12,1% dos negativados tem três dívidas em aberto. Por fim, 30,7% dos consumidores negativados têm quatro dívidas ou mais.

Os dados foram obtidos após um estudo sobre o perfil dos consumidores brasileiro em maio deste ano, quando o número de negativados chegou a 61 milhões. Ao chegar a esta marca, o índice de inadimplência atingiu recorde histórico com a contribuição da recessão econômica e dos altos níveis de desemprego , segundo a Serasa Experian .

"É essencial que o mercado possa entender o cenário econômico, por meio de análise de informações, para desenvolver estratégias que possam impulsionar o crescimento do país", destacou Julio Guedes, diretor de Decision Analytics da Serasa Experian, em comunicado divulgado pela entidade.

Leia também: Meirelles fala em manutenção da projeção do PIB de 0,5% este ano

O estudo mostrou que a região com maior nível da inadimplência é a Sudeste, com 45,2% do total. Em seguida, está as regiões Nordeste, correspondente a 25,1%, Sul, com 12,8% dos negativados e a Norte, com 8,9% dos inadimplentes. A região com menor índice é o Centro-Oeste, com 8% dos consumidores negativados, segundo a Serasa.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.