Tamanho do texto

Especialista definiu como "preocupantes" os níveis em que as bactérias foram encontradas nas bebidas frias do Starbucks e outras grandes redes

Investigação encontrou bactérias fecais em três a cada dez amostras de bebidas frias do Starbucks
Divulgação
Investigação encontrou bactérias fecais em três a cada dez amostras de bebidas frias do Starbucks

Em uma investigação realizada pela emissora britânica "BBC", foram registrados níveis "preocupantes" de bactérias fecais em bebidas frias do Starbucks. Outras duas grandes redes de cafeteria do Reino Unido, a Caffè Nero e a Costa Coffee, também tiveram o mesmo problema encontrado.

Leia também: Proposta da Kroton para comprar a Estácio é reprovada no Cade; entenda

A definição de "preocupante" para os níveis de bactérias encontradas nas bebidas dos Starbucks e das demais redes foi dada pelo especialista Tony Lewis, do órgão que reúne profissionais da área de saúde ambiental. “Elas não deveriam estar presentes em nenhum nível, e muito menos nas quantidades encontradas”, diz. De acordo com Lewis, este é um patógeno que poder originar doenças humanas.

Como foi feito

Para a avaliação, foram examinadas dez amostras de bebidas resfriadas com gelo em cada uma das cafeterias. No Starbucks e no Caffè Nero, três estavam contaminadas por bactérias coliformes. No Costa Coffee a situação foi ainda pior: sete amostras apresentavam as bactérias que, em geral, são encontradas nas fezes. A "BBC" infomrou que as três empresas disseram ter tomado providências e dado início às suas próprias investigações.

Leia também: Compre orgânicos diretamente de produtores rurais com este aplicativo

Um grande problema para as redes é que a descoberta da presença das bactérias nas produtos ocorreu justamente no momento em que elas lançaram suas campanhas de bebidas geladas para o verão no hemisfério norte. 

Caso no Brasil

Um caso recente no Brasil também chocou consumidores. O restaurante Pimenta Verde Alimentos Ltda foi condenado a pagar indenização de R$ 2 mil a dois clientes que encontraram larvas em uma sobremesa. 

Nenhuma justificativa foi apresentada pela ré, que sequer compareceu à audiência do caso. A juíza responsável pelo processo reconheceu os efeitos materiais da situção e considerou que nada nos autos afetava a ideia de veracidade dos fatos, tendo em vista que os autores apresentaram provas cabíveis.

Leia também: Direitos trabalhistas: veja em quais situações há perda das férias remuneradas

A intenção dos autores do processo era conseguir o valor de R$ 7,5 mil cada um como indenização. A magistrada, no entanto, levou em consideração a condições financeira das partes, bem como as particularidades do caso e a natureza da ofensa para fixar o valor em R$ 2 mil. Até o momento, o caso de Starbucks, Costa Coffee e Caffè Nero não registrou nenhuma mobilização judicial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.