Tamanho do texto

Decisão faz três frigoríficos da Marfrig, um da JBS e um da Minerva ficaram impedidos de vender aos EUA até que "medidas corretivas" serem adotadas

Brasil Econômico

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu nesta quarta-feira (21) as exportações de cinco frigoríficos aos Estados Unidos, após autoridades sanitárias identificarem irregularidades nas carnes por conta da reação à vacina contra a febre aftosa. Segundo nota do ministério, a proibição será mantida até que as empresas adotem "medidas corretivas".

Leia também: Justiça proíbe JBS de vender ativos para Minerva Foods; entenda o caso

Com a decisão do Ministério da Agricultura , ficam suspensas as exportações de três plantas da Marfrig, localizadas em São Gabriel (RS), Promissão (SP) e Paranatinga (MS); uma da JBS, localizada em Campo Grande (MS); e outra da Minerva, em Palmeiras de Goiás (GO). Segundo o ministério, o comunicado foi enviado pelo Serviço de Segurança e Inspeção de Alimentos (FSIS, na sigla em inglês).

Agência relatou ao Ministério da Agricultura que frigoríficos registraram não confirmidades em reinspeção dos produtos
shutterstock
Agência relatou ao Ministério da Agricultura que frigoríficos registraram não confirmidades em reinspeção dos produtos

Leia também: Dor nas costas é doença que mais gera afastamento do trabalho; confira

Vinculada ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a agência relatou não conformidades constatadas em resinspeção de produtos dos cinco frigoríficos. "Trabalhamos ainda, para que não haja recusa das mercadorias já embarcadas, até porque não há risco algum à saúde pública", disse, em nota, o ministério. "O mecanismo de autossupensão é acionado como estratégia para facilitar o retorno de forma mais acelerada, após os esclarecimentos".

Para a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), "a iniciativa demonstra a responsabilidade do Brasil no que diz respeito à condução de suas exportações". Em comunicado, a associação disse que a produção brasileira de carne bovina segue "os mais altos padrões de vigilância sanitária e de qualidade. As plantas industriais suspensas representam uma fração mínima da produção nacional de proteína animal".

Respostas das empresas

Procurada, a JBS afirmou em nota que já encaminhou os esclarecimentos solicitados por meio da ABIEC e ressaltou que "não foram encontrados problemas relativos às instalações da planta ou de qualidade do produto".

Minerva Foods disse que a produção para os EUA segue em ritmo normal. "O volume produzido pela planta temporariamente suspensa pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento por não conformidade decorrente da identificação de alguns cortes com marcas de vacina aplicadas nos bovinos (que não oferecem risco à saúda das pessoas) foi realocado para outras unidades".

A empresa afirmou ainda que segue os mais rígidos padrões de qualidade e segurança alimentar em todos os países em que atua e informou que intensificou os controles para retomar a operação desta planta para os EUA o mais rápido possível.

Leia também: Mercedes-Benz faz recall para inspeção de veículos com defeitos no software

Por fim, a Marfrig Global Foods disse em nota que conta com "um rigoroso processo de garantia de qualidade para os produtos que são vendidos no mercado nacional e internacional". Em resposta à decisão do Ministério da Agricultura, a companhia afirmou que já está tomando todas as providências necessárias para atender exigências do mercado americano nos seus processos produtivos e está atendendo a todas as fases estabelecidas pela pasta de forma técnica e imediata, visando o retorno dessas plantas para exportação para este mercado".

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas