Tamanho do texto

Ter uma poupança para os presentinhos nas datas comemorativas é dica "de ouro". Porém, dá para se planejar sem isso. Confira dicas de especialista

Fim de ano é momento de se preparar para as compras de Natal para famílias e amigos? Então, se planeje!
iStock
Fim de ano é momento de se preparar para as compras de Natal para famílias e amigos? Então, se planeje!

Fim de ano, Papai Noel, compras. Chega a ser quase impossível não relacionar este período com o consumo de presentes – especialmente para as crianças. Mas, a grande questão aqui, é ter planejamento financeiro par a fugir de endividamento no próximo ano; o ideal é contar com dinheiro extra para estes gastos.

+ Veja três dicas para economizar nas compras pela internet

OK, isso todo mundo sabe: se preparar para as compras com antecedência é essencial para conseguir escapar de dores de cabeça futuras. Mas, algumas pessoas não têm reserva de capital para as datas comemorativas, certo?

Se este for o seu caso, fique tranquilo! Não ter uma poupança para os presentinhos não significa que o consumidor não poderá participar da troca de presentes, segundo explica o educador financeiro, Reinaldo Domingos, autor do best seller “Terapia Financeira – quebre o ciclo das gerações endividadas e construa sua independência financeira” (Editora DSOP).

“Se a condição financeira da família estiver muito apertada, o ideal é ter uma conversa franca com as crianças, buscando mostrar a importância delas para a família, e encontrando algo que desejam que possam ser compradas dentro da realidade financeira no momento. A conversa chamará a atenção para que percebam que aquilo que viram em uma propaganda não é o que elas necessitam no momento”, explica Domingos.

Se a situação financeira não está tão complicada, ainda é tempo de comprar um bom presente; contudo, antes da aquisição do produto, é necessária a realização de pesquisas de preços e uma análise das melhores formas de pagamento.

+ Confira 5 dicas para comprar produtos na internet com segurança

“A maioria das pessoas ainda não se atentaram para a importância de saber negociar em nosso cotidiano”, diz, acrescentando que vários cuidados devem ser tomados para evitar os juros dos parcelamentos, ou mesmo o endividamento no cartão de crédito e no cheque especial.

Veja mais algumas orientações do especialista:

De olho no futuro

Por maiores que sejam as facilidades de compra nesse momento, o consumidor deve observar a sua real situação financeira e projetá-la pelos próximos 12 meses, no mínimo, para ter certeza de que o que foi gasto não fará falta. 

Conhecimento e controle

Faça uma análise aprofundada de qual é a sua real disponibilidade financeira, e quanto dinheiro pretende gastar nesse momento. Tenha conhecimento e controle! É importante pensar que a poupança de agora poderá te garantir segurança no futuro. 

Despesas mais importantes

Você deve relacionar seus gastos "normais" de todos os meses e, depois, listar aqueles típicos de fim e início de ano, como despesas com viagens, ceias (natal e virada de ano), IPVA, IPTU, matrícula, material escolar etc. A partir deste registro, saberá quanto dinheiro terá para as compras de final de ano. 

Lembre de suas metas

É importante observar que, antes de ir às compras, você deve guardar parte do dinheiro para outros sonhos e metas) que tem na sua vida. Parece exagero, mas, mesmo aqueles tópicos como dinheiro para cursos de especializações, aposentadoria e independência financeira deverão entrar no planejamento de compras. 

Liste os presenteados

Antes de sair às compras, liste as pessoas que vai presentear, o quanto pretende gastar com cada uma e o que o presente poderá agregar para o sortudo. Algumas vezes, é necessário dar prioridades e, infelizmente, nem todo mundo de nosso círculo social poderá ser materialmente agraciado. 

Lembre-se de você

Presenteie-se! Você também merece recompensas por tudo que trabalhou durante o ano. Por isso, é preciso que procure comprar algo que agregará valor ao seu futuro. Uma boa dica é um livro, por exemplo. 

Não deixa para o fim

A cena da correria para as compras é clássica. Mas, faça um favor a si mesmo e evite as filas e as compras de última hora. Antecipe as visitas às lojas, fugindo do tumulto. Você também vai encontrar preços melhores e terá maior prazo para negociação. Além disso, é válido avaliar se é possível prorrogar a data para adquirir o produto.  Se puder, aguarde o início do ano, que as promoções certamente chegarão. 

Pesquise, pesquise

Essa dica vale sempre e para todos os consumidores. Pesquisar os preços dos produtos em, pelo menos, cinco lugares, pode dar trabalho, mas é um esforço que valerá a pena ao seu bolso. Não se esquecendo da internet, que, algumas vezes, pode entregar ofertas interessantes. 

Barganhe, consumidor!

Busque o menor preço à vista, negocie e lembre-se de que as lojas quase sempre têm margens para negociar. Caso não consiga com o vendedor, chame o gerente da loja. Nesse momento, vale ter "cara de pau". 

À vista, de preferência

Uma boa dica é evitar parcelamentos no cartão de crédito, principalmente os longos. Em caso de impossibilidade de pagamento à vista, faça parcelas curtas e negocie os juros. Não se esqueça de que essas parcelas serão somadas com outras já possam existir em seu orçamento. 

+ Cresce a intenção de compra de presentes no Natal, aponta Hello Research

Tenha outros valores

Por fim - e não menos importante: lembre-se de que as festas de fim de ano são momentos para estar próximo à família e amigos. As compras e as trocas de presentes também são importantes, fazendo parte dos rituais, porém, ter valores (e passá-los às crianças) é fundamental e te ajudarão a conquistar a saúde financeira. Acredite.