Tamanho do texto

Empreendedora americana escreveu artigo sobre como consegue conciliar de maneira saudável a vida profissional, como CEO, e os dois filhos. Veja

Mulheres que são mães e ativas no mercado de trabalho sofrem muitas pressões, criando um círculo de culpa. Veja o que empreendedora faz contra isso
iStock
Mulheres que são mães e ativas no mercado de trabalho sofrem muitas pressões, criando um círculo de culpa. Veja o que empreendedora faz contra isso

Se você é mulher, mãe e está na ativa no mercado de trabalho, já deve ter sentido vontade de “ser duas”, se multiplicar para conseguir fazer tudo o que necessita durante o dia. Muitas vezes, parece ser impossível alcançar o equilíbrio entre vida profissional e pessoal, pelo menos da maneira ideal que cada uma projeta a si mesma.

+ Paixão e carreira podem andar juntas? Empreendedora diz que sim e ensina como

A empreendedora Sarah Perry – que também é mãe de duas crianças – escreveu um artigo ao site Motto, contando como consegue conciliar a aproveitar os dois grandes papeis de sua vida, tanto da maternidade quanto da carreira – de maneira saudável e intensa. Leia na íntegra:

Muitas vezes, eu desejo que pudesse me clonar. Para mim, a primeira cópia seria da “mãe perfeita” que tem tempo para participar de todas as decisões do conselho escolar e de fazer agrados às crianças em casa. A segunda cópia seria a empreendedora de sucesso, altamente profissional. Infelizmente, a clonagem humana não é uma opção viável (ainda) e, assim como o restante dos 56% de pais e mães que trabalham nos Estados Unidos, acredito que preciso aprender a balancear carreira e maternidade.

A chance de construir minha companhia veio de maneira repentina, quando os meus dois filhos tinham menos de 3 anos. Em um mundo ideal, eles teriam de ser mais velhos antes de eu começar a trabalhar novamente. Mas, as oportunidades não vêm de presente ao nosso colo muito frequentemente, então eu percebi que valeria a pena suar a camisa, abrir mão de algumas coisas e começar a pensar nos detalhes da empresa.

Nesse momento, eu tive de fazer decisões muito complicadas sobre fatores importantes na minha vida – refletindo sobre o que eu poderia parar de fazer, por exemplo.

Existe um princípio no mundo dos negócios que chamamos informalmente de “regra 80-20”: ela afirma que 20% do que você faz deve ter 80% do impacto. Por exemplo, 80% de suas receitas vêm de 20% de sua lista de clientes e, sabendo isso, você pode tomar melhores decisões sobre onde e com quem gastar o seu tempo. Cito essa regra porque acho que ela também se aplica ao criar uma família.

Eu percebi que meus filhos não ligavam, realmente, se o bolo de aniversário era feito em casa ou na padaria – mas, sim, se ele tinha um doce no topo ou a vela era colorida. Então, comecei a comprar no supermercado e gastava meu tempo escolhendo a vela que brilhava mais ou o doce mais bonito. Com isso, estou dizendo: deixa que a regra 80/20 te oriente e salve. Entenda e aceite que a maior parte das coisas que a sociedade cobra, que as pessoas dizem “você deveria”, realmente não faz muita diferença.

Quer saber o que eu fiz? Aqui estão alguns exemplos:

Sociedade diz: você deveria gastar todo o seu tempo com seus filhos.

Eu digo: gasto tempo de qualidade com meus filhos, e tento equilibrar o resto das coisas.

Sociedade diz: CEOs devem trabalhar o tempo todo.

Eu digo: eu preciso dormir, também.

Existem essas e tantas outras exigências, que fica difícil contar: leia para as crianças na cama. Dê banho quando são pequenos. Jogue com as crianças sempre. Jantem tudo. Aproveite a família com um bom filme. Ajude seu filho no dever de casa.

+ Latinas ganham US$ 1 milhão a menos que os homens ao longo da carreira

Não se sinta mal por não ser capaz de fazer tudo isso. Não sinta como se você sempre tivesse que estar à frente de todas as suas atividades. Sim, você pode e vai sentir falta dos momentos cotidianos enquanto eles não param de crescer. Mas, lembre-se de que estará cuidando de interesses familiares também quando está trabalhando.

Ser mãe e trabalhadora pode acabar se tornando uma viagem sem fim de culpa. Se você não pode participar de uma reunião da escola e da feirinha de ciências, selecione uma das duas em que possa, ou que seja mais importante. Tente balancear e se perdoar por isso. Não tente se desdobrar.

Quando comecei a trabalhar na minha própria empresa, carregava um mantra escrito num pedaço de papel dobrado (que ainda existe, aliás), que sempre lia para mim mesma ao me sentir culpada. É assim: as crianças estão felizes e saudáveis e estou trabalhando para criar o melhor futuro possível a elas.  

Parece bobo, mas é surpreendente como esse pedaço de papel me ajudou nas minhas tarefas. Me auxiliava a perceber que culpa não faz sentido e é um sentimento “sequestrador” de energia. Geralmente, se você se sente feliz, as crianças também estarão felizes. Ademais, trabalhar duro e ser empreendedora faz com que você se torne um modelo para elas.

Tenha orgulho de fazer o que você faz pela sua família. Nem sempre, será porque sabe fazer um bolo incrível. A regra dos 80/20 foi aplicada em minhas horas de trabalho porque eu valorizo minha criatividade, minha energia e minha maneira de pensar positivo.

E lembre-se de ouvir seu corpo! Não viva apenas para trabalhar e cuidar dos seus filhos. Tenha um tempo para si mesma, tire aquele cochilo, durma bem. A falta de sono tem o dom de estragar as coisas. Você não será melhor cansada: nem  como mãe, nem como funcionária ou empreendedora.

Há muita expectativa em cima de mulheres (e mães) e criar um “novo normal” requer se defender. Recentemente, tive de dispensar um conselheiro bem-intencionado que implicava comigo, já que “deveria trabalhar 60 horas semanais se quisesse ser uma boa CEO”. Não aceito isso porque acredito que um bom CEO é aquele que faz com que os negócios prosperem, que tenha funcionários felizes e que tenha tempo para aproveitar a família.

+ Diferença salarial entre homens e mulheres cai em São Paulo. Devemos comemorar?

Assim, enquanto a ideia de criar um clone de mim mesma está muito distante da realidade, a única opção que tenho é focar em minhas prioridades: família e negócios. Fazendo isso, tenho tempo o suficiente para ser mãe e empreendedora . As outras coisas eu deixo para “mais tarde”.

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.