Tamanho do texto

Presidente da Comissão da reforma da Previdência afirmou neste domingo (16) que Joaquim Levy é um “quadro” que “serve ao país”, não a partidos

marcelo ramos
Reprodução / Agência Câmara
Marcelo Ramos é Presidente da Comissão da reforma da Previdência

O presidente da Comissão Especial da reforma da Previdência,  Marcelo Ramos (PL-AM), lamentou a  demissão de Joaquim Levy da presidência do BNDES . Pelo Twitter, o deputado afirmou que Levy é um “quadro” que “serve ao país”, não a partidos.

“Existem quadros que não servem a governos ou a partidos, servem ao país”, afirmou Ramos. "Joaquim Levy , certamente, é um desses quadros. Perde o Brasil”. 

Leia também: Guedes critica recuos no parecer da reforma: "Podem abortar a nova Previdência"

Levy pediu demissão na manhã deste domingo, após receber duras críticas do presidente, J air Bolsonaro , que afirmou que Levy estava “com a cabeça a prêmio”. Esta é a primeira baixa na equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, e amplia a crise no governo em meio à tramitação da Reforma da Previdência.

Levy foi indicado à presidência do BNDES pelo ministro da Economia. Na sexta-feira, Guedes disse ao blog do jornalista Gerson Camarotti , no G1, que entendia a “angústia” de Bolsonaro: “Entendo a angústia do presidente. É algo natural ele se sentir agredido quando o presidente do BNDES coloca na diretoria do banco nomes ligados ao PT”.

Formado em Engenharia Naval, mas com doutorado em Economia pela Universidade de Chicago, Joaquim Levy ocupou até ano passado o cargo de diretor-geral e diretor financeiro do Banco Mundial. Antes, ocupou o Ministério da Fazenda, entre janeiro e dezembro de 2015, no segundo governo da ex-presidente Dilma Rousseff.