Tamanho do texto

Segundo o presidente da Câmara, ainda não há um consenso sobre o tema; o deputado também informou que estados e municípios serão retirados da PEC

rodrigo maia
Marcelo Camargo/Agência Brasil
"Hoje não temos um consenso sobre o tema da capitalização. Não parece maduro", disse o deputado Rodrigo Maia (DEM)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), informou nesta quarta-feira (12) que a proposta de criar um regime de capitalização está fora da reforma da Previdência. Em entrevista coletiva, o deputado acrescentou, porém, que as discussões sobre o tema devem ser retomadas a partir do segundo semestre.

Leia também: Relator mantém tempo mínimo de contribuição da mulher em 15 anos

"Hoje não temos um consenso sobre o tema da capitalização . Não parece maduro. [...] No segundo semestre vamos retomar o debate, com uma nova emenda e com mais calma, e explicar para a sociedade o que isso representará para o Brasil. Não há rejeição à matéria, mas ainda não consenso sobre a inclusão nessa matéria [reforma da Previdência]", afirmou.

Entre outros pontos,  Maia também confirmou que estados e municípios serão excluídos do texto que está na comissão especial e que vai trabalhar "até o último minuto" para que o resultado da votação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) seja "forte". O presidente da Câmara ainda pediu racionalidade a todos e disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes , é "um dos poucos" que dialogam com o Congresso.

Tramitação

A reforma da Previdência está em discussão em uma comissão especial da Câmara. O relator do texto nesta etapa, deputado Samuel Moreira (PSDB), deve apresentar seu parecer sobre o projeto nesta quinta-feira (13).

Leia também: Governo está tranquilo quanto a mudanças na Previdência, diz líder

Maia já adiantou que articula a votação da reforma da Previdência nessa comissão para o próximo dia 25. Para ser aprovado no plenário da Câmara, o texto vai precisar dos votos de pelo menos 308 dos 513 deputados em dois turnos.