Tamanho do texto

Líder do governo no Congresso voltou a defender o texto da reforma e admitiu que podem acontecer mudanças em alguns trechos para a aprovação

Joice Hasselmann
Agência Brasil / Valter Campanato
Joice Hasselmann mostra otimismo com aprovação da reforma da Previdência


A líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), disse estar otimista de que a "espinha dorsal” da reforma da Previdência será aprovada no Congresso . Para a deputada, no entanto, será difícil aprovar as mudanças no Benefício de Prestação Continuada ( BPC ) e na aposentadoria rural. 

"Minha preocupação é o tamanho da reforma. A preocupação é com a espinha dorsal, que é uma economia de R$ 1 trilhão. É difícil passar BPC e aposentadoria rural. Se 14 líderes partidários falaram isso (que estão contra esses pontos da reforma da Previdência ), mesmo eu tendo vara de condão, eu não consigo resolver isso. Se for mais do que isso, Paulo Guedes vai ficar feliz da vida. Mas, segundo o relator da proposta, a economia com a proposta atual pode chegar a R$ 1,3 trilhão a R$ 1,4 trilhão", disse Joice no congresso da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (Abvcap), nesta sexta-feira, em São Paulo.

Leia também: Governo vai defender novos BPC e aposentadoria rural, garante secretário

Joice minimizou os desentedimentos recentes entre a base governista e os deputados do chamado Centrão. Para ela, o governo precisa ajustar o tom da conversa para lidar com o Congresso.

"Está faltando ao governo ajustar o tom, achar a nota ideal. O governo precisa fazer tantas reformas. Previdência é só a base. Tem ainda o pacto federativo. O presidente quer construir. Mas tem tempo pela frente. Temos três anos e meio para acertar", acrescentou a deputada, ressaltando que não cabe a ela dizer se é contra ou a favor das manifestações de apoiadores do governo, marcadas para este domingo.

Leia também: Bolsonaro diz esperar que Previdência não seja desidratada no Congresso

"Não posso estar nas manifestações. Não posso misturar. Estou no papel de líder do governo no Congresso, lutando pela nova Previdência . Temos que torcer pra ter manifestação pacífica e ordeira", disse.