Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Shutterstock
Com decisão da Aneel, conta de luz completará terceiro mês consecutivo sem cobrança extra aos consumidores

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (23) que a bandeira tarifária de março contrinuará na cor verde. Com a decisão, os consumidores completarão o terceiro mês sem precisar pagar a cobrança extra na conta de luz, já que para janeiro e fevereiro a agência já havia decidido manter a tarifa nesse patamar.

Leia também: Tem conta no Nubank? Em breve, você poderá usá-la para receber seu salário

A manutenção da tarifa na conta de luz indica que a situação nos reservatórios das usinas hidrelétricas continua a melhorar, devido à volta das chuvas. Nos últimos meses do ano passado, por conta do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, houve cobrança extra na energia elétrica por meio das bandeiras.

Leia também: Fitch rebaixa nota e Brasil fica a três níveis do grau de investimento

Isso acontece para aumentar os recursos e cobrir os custos extras com a produção de energia mais cara gerada pelas usinas termelétricas. Em outubro e novembro, a conta de luz ficou no patamar 2, a mais alta prevista pela agência. No mês de outubro, o acréscimo foi de R$ 3,50 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. Em novembro, com a revisão dos valores, o valor adicional passou para R$ 5,00 a cada 100 kWh.

Em dezembro, por conta do início do período chuvoso, a agência reguladora determinou a cobrança da bandeira vermelha, mans no patamar 1, com cobrança extra de R$ 3,00 a cada 100 kWh consumidos.

Entenda a bandeira tarifária

O sistema foi criado para equilibrar os gastos extras pelo uso das usinas termelétricas, mais caras que as hidrelétricas. A cor da bandeira impressa na conta indica o custo em função das condições de geração de eletricidade. Quando chove menos, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no País.

Leia também: Força de trabalho tem 26,3 milhões de pessoas subutilizadas, diz IBGE

A agência defende que a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz, mas uma forma diferente de cobrar um valor que já era incluído na conta de energia, por meio do reajuste tarifário anual das distribuidoras. A agência diz que o modelo torna a conta mais transparente para o consumidor e apresenta a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários