Tamanho do texto

Estatal passa a divulgar o preço médio de combustíveis para as refinarias sem incluir tributos; litro da gasolina é vendido pela empresa por R$ 1,5148

Segundo a ANP, preços médio da gasolina subiu mais de 14% após adoção de nova política de preços da Petrobras
Arquivo/Agência Brasil
Segundo a ANP, preços médio da gasolina subiu mais de 14% após adoção de nova política de preços da Petrobras

Para dar mais transparência à composição do preço final dos combustíveis, a Petrobras passou a divulgar o preço médio do litro da gasolina e do diesel para as refinarias e terminais do Brasil, sem incluir tributos. Segundo os dados disponíveis no site da estatal, o preço médio do litro da gasolina A , comercializado pela empresa, será de R$ 1,5148.

Leia também: Mercado projeta terceira queda seguida para inflação e fica em 3,81%, aponta BC

O resultado já prevê o reajuste previsto para entrar em vigor nesta terça-feira (20). Já o diesel A é vendido por R$ 1,7369. De acordo com a Petrobras , o valor médio nacional divulgados no site consideram os preços à vista, sem encargos, praticados nos diversos pontos de venda em todo o território nacional.

Leia também: Jovem entrega currículo com habilidade de "assistir a 276 episódios de Naruto"

Como a legislação garante liberdade de preços para o mercado, as revisões feitas pela empresa podem ou não se refletir no preço final ao consumidor, segundo repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis e derivados. Apesar disso, os preço da gasolina tem aumentado desde a adoção da nova política de preços da Petrobras.

De acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, o preço médio do litro da gasolina passou de R$ 3,69, em outubro de 2016, para R$ 4,23, em fevereiro de 2018. A variação no período indica uma alta de cerca de 14,6%. Segundo a estatal, os ajustes feitos por sua política respondem por apenas 9 centavos da variação total.

No caso do diesel, o preço médio em outubro de 2016 era de R$ 3,05 por litro e agora está em R$ 3,40. Da variação de 35 centavos (aproximadamente 11,4%), somente 12 centavos estão ligados à política, de acordo com a companhia. Em nota, a empresa ressaltou que o modelo de revisão dos preços do diesel e da gasolina não foi alterado.

"Os preços dos derivados são atrelados aos mercados internacionais e podem variar diariamente, como outras commodities, a exemplo da soja, do trigo e do aço. De acordo com as cotações internacionais, pode haver manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias".

Preços do gás de cozinha

O site da estatal também passa a informar o valor médio do GLP (gás liquefeito de petróleo) residencial, isto é, o gás de cozinha. O produto é vendido pela estatal às distribuidoras que fazem o envase no botijão. Atualmente, o preço médio sem tributos para um botijão de 13 quilos equivale a R$ 23,16.

revisão da política de preços do gás de cozinha foi feita pela Petrobras em janeiro para reduzir a volatilidade dos preços. "A revisão alterou a frequência dos reajustes de mensal para trimestral e introduziu um mecanismo de compensação pelas diferenças entre os valores que seriam praticados pela política anterior e aqueles adotados pela metodologia atual, sem, portanto, imactar negativamente o resultado da companhia.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.