Tamanho do texto

Números divulgados pela companhia ainda contemplam a divisão de aviação comercial, em processo de venda para a norte-americana Boeing; confira

Embraer arrow-options
Agência Brasil/Antônio Milena
Embraer registrou lucro de R$ 26,1 milhões no segundo trimestre deste ano

A fabricante de aviões Embraer anunciou nesta quarta-feira (14) um lucro líquido de R$ 26,1 milhões no segundo trimestre de 2019, revertendo prejuízo de R$ 485 milhões registrado no mesmo período do ano passado. Os números divulgados pela companhia ainda contemplam a divisão de aviação comercial, que está em processo final de venda para a norte-americana Boeing.

Leia também: Nome da nova Boeing-Embraer exclui brasileira e confirma soberania da americana

O segmento de aviação comercial continuou representando a maior fatia de receita da empresa no trimestre passado. Segundo balanço, o segmento comercial foi responsável por 45,7% da receita, o equivalente a R$ 2,4 bilhões.

O segmento executivo representou 21,5% (R$ 1,1 bilhão) e defesa e segurança ficou com 14,2% (R$ 766 milhões), enquanto serviços e suporte representou 18,5%, o equivalente a R$ 1 bilhão. A receita total foi de R$ 5,4 bilhões no segundo trimestre deste ano.

"Os segmentos executivo e defesa estão mais fortes do que nunca e vão trazer valor a nossos acionistas", disse o presidente da empresa, Francisco Gomes Neto, durante teleconferência com analistas.

No período, a empresa entregou 51 aeronaves, sendo 26 comerciais e 25 executivas, três a mais que no mesmo período de 2018. A carteira de pedidos somou US$ 16,9 bilhões ao final do período. No primeiro trimestre, a carteira de pedidos somava US$ 16 bilhões. 

Gomes Neto afirmou que a previsão de que o negócio com a Boeing seja concluído até o fim do ano está mantida. Ele afirmou que há duas frentes de trabalho neste momento. 

"Estamos submetendo a transação às autoridades regulatórias de diversos países. E a outra frente prevê a separação dos ativos da aviação comercial, considerando a infraestrutura que vamos precisar", explicou Gomes Neto.

Leia também: Bolsonaro anuncia venda de aeronaves da Embraer para Portugal

Boeing e Embraer serão sócias numa nova empresa de aviação comercial que vai se chamar Boeing Brasil – Commercial . A nova empresa está avaliada em US$ 5,26 bilhões e a Boeing será dona de 80% enquanto a Embraer terá 20%, parcela que poderão ser vendida à americana no futuro. O acordo foi firmado em dezembro do ano passado entre as companhias.