Tamanho do texto

Segundo Abear, número de assentos encolheu 9,2% em um ano. Resultado colaborou para a maior taxa de ocupação para o mês de junho da história

avião da avianca arrow-options
Avianca Brasil/Divulgação
Impedimento da Avianca de comercializar voos no país colaborou com queda na oferta de assentos

A crise da Avianca Brasil, aliada às incertezas na retomada da economia, fizeram a oferta de aviões à disposição dos passageiros brasileiros cair ao mesmo patamar de junho de 2010, segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

Leia mais: Gol e Latam desembolsam US$ 147 milhões em leilão de ativos da Avianca

Em junho deste ano, a oferta de assentos na aviação doméstica brasileira encolheu 9,2% na comparação com 12 meses antes. É o terceiro resultado mensal negativo consecutivo, após 21 meses de expansão do indicador.

A demanda de passageiros também caiu, mas menos: 2,67%, no mesmo período. O resultado: a ocupação dos voos domésticos no Brasil bateu recorde: 81,76%, maior ocupação para um mês de junho da história da Abear.

Confira: PIB dos EUA desacelera, mas cresce 2,1% no segundo trimestre 

Em relatório ao mercado, a Abear credita os números ruins à progressiva saída da Avianca do mercado. Desde o pedido de recuperação judicial, em dezembro, a aérea perdeu mais de 80% da frota. Com uma sucessão de voos cancelados entre os meses de abril e maio, a Avianca foi impedida de voar pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em 23 de maio.