Brasil Econômico

Funcionários da Avianca protestam
Aloisio Mauricio/Fotoarena/Agência O Globo
Funcionários da Avianca protestam no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro


Tripulantes da Avianca Brasil fazem paralisações, desde às 6h desta sexta-feira (17) nos aroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e de Congonhas, em São Paulo. Os funcionários reivindicam o pagamento de salários atrasados e melhoria na manutenção de aeronaves.

Com o protesto dos trabalhadores da Avianca , algumas viagens da ponte aérea Rio-São Paulo foram prejudicadas. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que pelo menos 13 dos 21 voos da companhia aérea haviam sido cancelados na capital paulista. É possível  checar a lista aqui .

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), orgazinador do ato, estima que 200 funcionários da Avianca estejam no protesto de Congonhas. O presidente da entidade, Ondino Dutra, disse esperar que a maioria das saídas do aeroporto de São Paulo programadas para hoje seja cancelada.

Segundo ele, boa parte dos passageiros da Avianca que chegam a Congonhas na manhã desta sexta-feira está sendo reacomodada por outras companhias aéreas.

A greve  desta manhã foi decidida  na última assembleia devido a atrasos de salários , o não pagamento de benefícios e de diárias de viagens e de diárias pagas a tripulação para despesas com alimentação e transporte durante o trabalho. Os mais de 1.500 tripulantes da companhia aérea estão sem receber o salário de maio, que deveria ter sido depositado no último dia 7.

Decisão judicial pede que pelo menos 60% dos tripulantes trabalhem hoje

Nesta quinta-feira (16), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que pelo menos 60% dos trabalhadores da empresa trabalhem durante a greve. A decisão foi tomada a pedido da companhia aérea, que está em processo de recuperação judicial desde dezembro, numa tentativa de contornar a  paralisação de funcionários .

A medida do TST vale para a mão de obra da Avianca nos aeroportos em que a companhia segue operando: Congonhas, Santos Dumont, Brasília e Salvador.

Segundo Dutra, o movimento está cumprindo a ordem do TST. O problema é que a grave situação financeira da Avianca  está afugentando passageiros da companhia e forçando o cancelamento dos voos. "A Avianca acabou. Não tem mais passageiro disposto a voar pela companhia", explicou.

O despacho assinado pela ministra Dora Maria da Costa estipula multa de R$ 100 mil ao Sindicato Nacional dos Aeronautas em caso de descumprimento da decisão. Para a ministra Dora Costa, a Lei de Greve, de 1989, restringe as paralisações em serviços essenciais como o transporte aéreo.

Leia também: Avianca Brasil demite ao menos 200 tripulantes nesta segunda-feira

No início da noite de quinta-feira, o SNA entrou com pedido ao TST para reconsiderar a decisão do Tribunal. A intenção é substituir a multa diária de R$ 100 mil por uma de R$ 10 mil em "caso de manutenção de contingente mínimo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários