Tamanho do texto

As demissões ocorrem na esteira da perda de 80% da frota da companhia, que foi reduzida de 50 para cinco aeronaves desde dezembro do ano passado

avião da avianca
Divulgação/Avianca Internacional
Em grave crise financeira, a Avianca Brasil teve sua frota reduzida de 50 para cinco aeronaves desde dezembro

Em grave situação financeira, a Avianca Brasil demitiu ao menos 200 comandantes e copilotos nesta segunda-feira (13), de acordo com estimativa do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA). É cerca de 15% da mão de obra da companhia aérea, em recuperação judicial desde dezembro.

As demissões ocorrem na esteira da perda de 80% da frota da Avianca em seis meses de dificuldades financeiras. Por causa dos aluguéis atrasados, a frota da companhia caiu de 50 para cinco aeronaves desde dezembro. Com isso, a maior dos cerca de 1.500 tripulantes da companhia ficaram redundantes na empresa.

Mais cedo, a concorrente  Azul anunciou a intenção de aportar US$ 145 milhões na Avianca Brasil para adquirir os 169 slots que teriam ido a leilão na terça-feira passada (7). Horas antes, o certame foi suspenso por uma liminar obtida pela prestadora de serviços aeroportuários Swissport questionando as regras do leilão.