Tamanho do texto

Bem como a Apple, Amazon rompe barreira do US$ 1 trilhão e deve ser seguida por Google e Facebook. Valor é maior que toda Bovespa junta. Veja

Amazon e Jeff Bezos lideram pesquisas de boa impressão entre as gigantes tec
Amazon/Divulgação
Amazon e Jeff Bezos lideram pesquisas de boa impressão entre as gigantes tec

A Amazon atingiu nesta terça-feira (3) a marca de US$ 1 trilhão em valor de mercado e se juntou à Apple como as duas únicas empresas privadas do mundo a superar esse patamar histórico inédito. A marca foi atingida na manhã de hoje quando as ações da companhia passaram a valer US$ 2.050,26.

Leia também: Amazon lança sistema de compra internacional para consumidores de fora dos EUA

Depois disso, já no começo da tarde, as ações da Amazon registraram um pequeno recuo, mas seguiram em alta de 1,3% valendo R$ 2.038,71, na Nasdaq, a bolsa de Nova York.

A marca é superada cerca de um mês depois da sua concorrente, a gigante de tecnologia, a Apple que conseguiu a façanha no dia 2 de agosto. Porém, a empresa que tem Jeff Bezos no comando conseguiu superar, pelo menos, as concorrentes Alphabet (dona do Google) e Facebook que também estão muito próximas de atingir o patamar.

Jeff Bezos, por sinal, já tinha conquistado o "rótulo" de homem mais rico do mundo. Na verdade, sua fortina estimada em US$ 151 bilhões pela Bloomberg faz dele a pessoa mais rica da história moderna. A superação simbólica dos US$ 150 bilhões foi alcançada em julho e supera, descontada a inflação, o até então recorde de US$ 100 bilhões marcado por Bill Gates, fundador da Microsoft.

A Amazon cruzou o limite de US$ 2.000 por ação pela primeira vez em 30 de agosto, depois de dobrar seu preço em apenas 10 meses. As ações da Amazon chegaram a US$ 1.000 em 27 de outubro de 2017. Os papéis atingiram US$ 100 pela primeira vez em 23 de outubro de 2009.

O valor é tão grande que se todas as 360 empresas brasileiras listadas na Bolsa de São Paulo –a Bovespa – tivessem as ações reunidas, ainda assim, a empresa administrada por Bezos valeria mais, já que, segundo dados da Economatica, as companhias brasileiras valiam, no final de julho, US$ 847 bilhões e a Amazon acaba de superar a marca de US$ 1 trilhão .

Amazon tem mais para se orgulhar

Primordialmente, uma empresa de entrega de produtos, Amazon se tornou segunda empresa na história a superar a marca de US$ 1 trilhão
shutterstock
Primordialmente, uma empresa de entrega de produtos, Amazon se tornou segunda empresa na história a superar a marca de US$ 1 trilhão

A Amazon, no entanto, tem mais motivos para se orgulhar fora a superação da barreira do trilhão. Recentemente, uma pesquisa conjunta realizada pelo SurveyMonkey e pelo Recode revelou que cerca de  20% dos americanos acreditam que a Amazon está tendo o impacto mais positivo na sociedade entre todas as grandes empresas de tecnologia do mundo.

Além disso, o seu CEO, Jeff Bezos, também ocupou a liderança entre os presidentes-executivos das companhias.

Após o escândalo de dados que envolveu o Facebook, em março, muitos consumidores/usuários passaram a ter um olhar mais crítico em relação às empresas de tecnologia. Segundo os analistas, porém, a Amazon, por não se tratar de uma rede social conseguiu se descolar um pouco dessa imagem negativa.

A gigante do e-commerce mundial é seguida na pesquisa pelas citações de Google (15%), Apple (11%) e, finalmente, o Facebook (10%). Já com menos de dois dígitos aparecem Microsoft (7%), Tesla (6%), Uber (3%) e Netflix (2%). Completam a lista, o Twitter, o Snap e a Lyft, com 1% cada. Assim como no caso da Amazon, 20% das pessoas escolheram "nenhuma dessas opções".

 Além de se tornar a segunda empresa no mundo a romper a barreira do US$ 1 trilhão, Amazon também lidera pesquisa de
Amazon/Divulgação
Além de se tornar a segunda empresa no mundo a romper a barreira do US$ 1 trilhão, Amazon também lidera pesquisa de "imagem positiva" realizada recentemente nos Estados Unidos

Já na pesquisa realizada entre os CEOs, ao invés das próprias empresas, o chefão da Amazon, Jeff Bezos , também lidera.

O executivo é citado positivamente por 22% das pessoas entrevistas. Na sequência, as pessoas responderam que os líderes com maior impacto positivo no cotidiano das pessoas são Sundar Pichai, do Google, com 18%, e Mark Zuckerberg, do Facebook, com 17%. A pesquisa envolveu entrevistas online com 2.772 pessoas, nos dias 8 e 9 de abril, em todo território americano.

Leia também: Amazon vai fazer entregas direto no porta-malas de carros estacionados

Uma possibilidade que não foi descartada é que muitas pessoas tenham citado a  Amazon  justamente em contraposição aos altos índice de rejeição do presidente Donald Trump que mencionou negativamente a companhia de Jeff Bezos mais de uma vez em seus polêmicos tweets.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.