Tamanho do texto

Unidade do restaurante Detroit Steakhouse, em Manaus (AM) e bar Chopp Brahma Street (SC), deram desconto de 12% após o término da audiência

Ex-presidente Lula teve condenação mantida e pena aumentada para 12 anos de prisão
Jane de Araújo/Agência Senado
Ex-presidente Lula teve condenação mantida e pena aumentada para 12 anos de prisão

Uma unidade da rede de restaurantes Detroit Steakhouse, em Manaus (AM), e o bar Chopp Brahma Street, em Balneário Camboriú (SC), fizeram promoções similares nesta quarta-feira (24), usando como pano de fundo o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em ambos os estabelecimentos os clientes que foram assistir à audiência ganharam 1% de desconto para cada ano de condenação do petista. Como a condenação foi aumentada para 12 anos, o desconto final foi de 12%.

Leia também: Como a condenação de Lula no TRF-4 pode impactar no bolso dos brasileiros

Nas duas situações, uma possível absolvição do ex-presidente Lula deixaria os clientes sem qualquer desconto no valor de suas contas. Os dois estabelecimentos chamaram a atenção para a possibilidade de uma condenação de até 48 anos, que garantiria desconto de 48%. 

A Detroit Steakhouse é uma rede especializada em carnes que tem 22 unidades espalhadas pelo Brasil. A empresa deve cerca de R$ 543 mil em impostos à União e não ficou feliz com a campanha de sua filial, solicitando o fim da promoção. 

As campanhas, divulgadas por meio das redes sociais, chamaram a atenção dos usuários. O post da unidade de Manaus da Detroit teve mais de 16 mil reações e 10 mil compartilhamentos, além de quase 7 mil comentários. A publicação da página Chopp Brahma Street foi deletada. 

Leia também: Fundo PIS/Pasep: pessoas com 60 anos sem conta podem sacar nesta quarta

Julgamento do ex-presidente

Na primeira instância,  Lula havia sido condenado a cumprir nove anos e seis meses de prisão  por crimes de corrupção e lavagem configurados na alegada reserva para si do tríplex 164-A do Condomínio Solaris, no Guarujá (SP).

Na sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro, em julho do ano passado, a compra e reforma do imóvel foram oferecidas pela construtora OAS ao ex-presidente e representaram vantagem indevida no valor de R$ 2,4 milhões.

Leia também: Caixa desiste de usar dinheiro do FGTS que elevaria capacidade de empréstimos

Com a condenação mantida e a pena aumentada nesta quarta-feira, o Lula ainda terá uma gama de recursos no próprio TRF-4 (a depender de como será a decisão da 8ª Turma) antes de, em tese, ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e acabar sendo impedido de participar das eleições deste ano.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.