Tamanho do texto

Maioria das empresas envolvidas em processo de falência é de pequeno porte e pertence ao setor de serviços; veja tabela

Os pedidos de falência em todo o País registraram alta de 16,4% em 2015 em relação ao ano passado. Os dados são da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), que contabilizou 1.990 pedidos frente aos 1.709 em 2014. 

Setor de serviços lidera tanto pedidos de falência quandot falências decretadas
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Setor de serviços lidera tanto pedidos de falência quandot falências decretadas

Em dezembro de 2015, o número de pedidos de falências recuou 25,9% na comparação mensal, mas aumentou 1,4% em comparação com dezembro de 2014. E a tendência de alta também se mantém para as falências decretadas, que subiram 16,7% no acumulado do ano passado.

Pequenas do setor de serviços

A maior parte das empresas falidas é formada pelas pequenas companhias. Os pequenos grupos empresariais, conforme mostra a tabela (em números absolutos) abaixo, representam cerca de 83% dos pedidos de falências e 91% das falências decretadas. Em seguida estão as médias empresas e, por último, vêm os grandes grupos.

Tabela com a comparação 2014 x 2015 de empresas em processo de falência
Divulgação
Tabela com a comparação 2014 x 2015 de empresas em processo de falência



Na divisão por setor da economia, o setor de serviços foi o que apresentou mais ocorrência de pedidos de falência, com 41% dos casos, seguido pelo setor industrial (35%) e pelo comércio (24%). O panorama se modifica quando são levados em conta as falências decretadas, com o comércio (36%) passando a frente da indústria (26%). Serviços, no entanto, continua na liderança, respondendo por 38%.

O indicador de falências e recuperações judiciais é construído com base na apuração dos dados mensais registradas em base de dados oriundas dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos Estados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas