Tamanho do texto

Entenda como é possível alugar ações e melhorar seus rendimentos!

O mercado de ações, apesar de muitas vezes não parecer, oferece muitas oportunidades diferentes para ganhar dinheiro. Com ações nós podemos ir além da compra e venda de ações e podemos, por exemplo, ganhar dinheiro também com bonificações e dividendos.

xx
Thinkstock/Getty Images
xx

Blockchain: Utilizando a tecnologia para proteger a sua casa!

Acontece que, além destas opções, há também uma outra opção que não é muito popular: o aluguel de ações.

Para entender o aluguel de ações, pense na seguinte situação:

Imagine que você já tenha um imóvel, e, mesmo assim, você deseja ter outro imóvel. Com a compra devidamente concluída, agora você tem 2 imóveis em mãos.

Mas isso te gera um problema. Você não pode morar nos dois lugares ao mesmo tempo. Sendo assim, seguindo a lógica, você tem um imóvel que não possui uso atualmente para você.

Para não deixar ele vazio, e principalmente para não deixar ele parado, é coerente que você coloque ele para alugar, não é verdade?

Pois, caso você acabe deixando ele “parado”, você estará perdendo uma oportunidade de ganhar dinheiro com algo que você não utiliza.

Isso é um exercício mental básico, mas que também se aplica para o aluguel de ações. Ele funciona com a mesma lógica: você tem um bem ali que está parado, dando sopa, e que você pode rentabilizar de alguma forma.

Então, num exemplo simples:

Você, adquiriu uma ITUB4, ação do Itaú, pensando nos dividendos.

Só que, por ser apenas para ter dividendos, você deixou a ação parada na sua carteira, já que você só precisa ter ela na sua carteira para poder receber os dividendos que você quer.

Apesar de não podermos dizer que foi ação “incorreta”, é fato de que, ao deixar a ação simplesmente parada, você está deixando de ganhar com ela.

Mas como isso funciona exatamente?

Calma que eu te explico.

A operação de aluguel consiste em um investidor, comumente chamado de locador, transferindo temporariamente a sua ação para satisfazer as necessidades de um outro investidor, chamado de locatário.

Então, o locador recebe um valor referente ao aluguel da ação enquanto o locatário recebe a permissão de utilizar essa ação por um período limitado de tempo.

O que o locatário ganha com isso?

Ele recebe o direito de poder operar com a ação.

Então, imagina que louco, um investidor x pode pegar um aluguel de um investidor y e vender a ação alugada para um investidor z.

Mas calma, fica tranquilo que isso não significa que quem emprestou a ação ficou sem ela.

Previdência: 3 mitos sobre a previdência privada para esquecer

Na realidade, o locatário tem a obrigação de, depois do período estabelecido pelo contrato, devolver as ações para o dono original. Então, se ele realiza a venda da ação alugada, depois ele é obrigado a comprar a mesma quantidade de ações alugadas para poder devolver ao locador.

E é aí que tá o peso pra quem pega um aluguel de ações: quem é o locatário espera que, no futuro, terá a oportunidade de recomprar as ações alugadas por um preço menor pelo qual ele vendeu, cobrindo pelo menos o valor do aluguel.

Assim ele ganha o dinheiro com um trading, e, na hora de repor as ações, ele consegue comprar por um preço menor, e líquida o lucro.

Então, nessa operação existe um risco para quem pega o aluguel, que é a oscilação de preços do ativo. Se o cara previu errado e os preços subiram na hora dele comprar a ação de volta, então ele vai ser obrigado a realizar um prejuízo.

Agora, para quem emprestou, o risco é bem menor. Isso porque a bolsa implementou uma série de diretrizes com o fim de garantir que a ação, independente do que aconteça, volte ao seu dono original.

Em outras palavras, emprestar uma ação é algo seguro, e beneficia principalmente aqueles que não querem comprar e vender ações rapidamente, pois, mesmo com a ação emprestada, você ainda ganha os benefícios de detentor da ação normalmente.

Nesse caso, as estratégias que envolvem uma carteira baseada em longo prazo, tal qual swing trades e principalmente dividendos, se beneficiam muito do aluguel de ações.

Pois, como você não vai fazer nada com a ação no curto prazo, você pode simplesmente deixar que alguém faça isso por você, e, enquanto isso acontece, vai ganhando os benefícios dela.

Cuidados

Se caso você deseja alugar uma ação, e o seu propósito é comprar e vender a ação, você corre o risco de mercado normal da bolsa, que vem das oscilações do preço.

Você ainda pode usar o aluguel para garantia ou cobertura em alguma outra operação, mas em linhas gerais, a grande maioria acaba usando para trade, e tem que ficar ligado nos riscos de mercado.

Tesouro Direto: 3 dicas para começar seus investimentos

E, claro, algo muito importante que muita gente não faz: ver se a ação fica disponível para alugar.

Querendo ou não, não são todas que ficam disponíveis. Já vi gente pegando uma ação apenas para alugar e ter a renda extra, mas no final empacou depois de ver que a bolsa não permitia.

Agora, para o locador, é só checar se é possível colocar a sua ação em aluguel, e estar ciente que, mesmo que ela não esteja em sua carteira, você ainda possui os direitos e responsabilidades dela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.