Saiba quais são os mitos que te contaram sobre previdência privada!

Previdência é uma daquelas palavras que só de ouvir dá dor de cabeça ao brasileiro. Especialmente para aqueles que buscam na previdência uma garantia de um futuro estável.

Tesouro Direto: 3 dicas para começar seus investimentos

Planejar com antecedência o futuro dos filhos pode evitar dores de cabeça para os pais
Getty Images
Planejar com antecedência o futuro dos filhos pode evitar dores de cabeça para os pais

E não é por menos: de um lado temos a previdência social, alvo de um grande debate político e público sobre a sua insuficiência para garantir a aposentadoria de seus beneficiários e contribuintes. Do outro, a previdência privada, da qual há uma grande má fama no que diz respeito às suas vantagens ao investidor.

Mas será mesmo que a previdência privada é tão ruim assim? Isso seria uma verdade incontestável ou uma meia-verdade? Para responder essa questão, separei 3 MITOS que dizem sobre a previdência privada que estão muito errados. São eles:

1 - Previdência Privada só tem planos ruins

Para explicar este mito, recorro a um exemplo muito comum de acontecer:

João tem uma vontade enorme de investir para garantir o seu futuro, mas não é totalmente leigo no que se refere a investimentos. Por isso, a opção que ele encontra logo de cara é a opção de pedir ajuda ao seu gerente, pois ele, com certeza, sabe onde João pode investir. O gerente de João, então, lhe mostra um plano de previdência incrível, com uma ótima rentabilidade e com uma segurança tão ótima quanto, deixando João tranquilo.

Talvez você tenha se identificado com João. E se você se identificou, é possível que saiba também que ele, muito provavelmente, investiu em uma péssima previdência.

A grande realidade é que uma previdência privada, assim como os outros investimentos, dificilmente valem a pena para o investidor quando feitos por intermédio dos bancos. São investimentos com muitas taxas, que reduzem consideravelmente o retorno sobre a aplicação. E o investidor, por conta da falta de conhecimento, acaba sujeitando o seu dinheiro a uma aplicação que simplesmente não vale a pena.

Isso aconteceu e ainda acontece bastante no Brasil, o que fez com que a previdência privada tivesse a fama de um péssimo negócio, o que não é necessariamente uma verdade.

Na realidade, existem sim boas previdências privadas para se investir, das quais possuam boas rentabilidades e taxas menos abusivas, se tornando realmente benéficas ao investidor. Mas estas dificilmente se encontram em bancos.

Bitcoin: 3 formas de utilizar a criptomoeda de forma inteligente

Uma opção de lugar onde se pode procurar boas previdências privadas são em corretoras de investimento. Porém, o mais importante é procurar entender os detalhes de cada previdência oferecida a você, pois nenhum lugar que você procurar vai te dar a garantia de que todas as previdências disponíveis são boas, ou as melhores para você. Isso exige uma análise do plano.

2 - Os fundos de previdência privada podem ser retirados a qualquer hora

Esse é um mito que fica entre ser mito ou ser apenas desinformação. E não é que ele seja uma mentira. Na realidade, ele é uma meia-verdade.

Isso porque, sim, na grande maioria dos casos você pode retirar o seu dinheiro da sua previdência. Afinal, o dinheiro é seu. O problema fica a par de uma coisa que nós, muitas vezes, não nos atentamos: o contrato.

Se você retirar o dinheiro da sua previdência antes da data estipulada com a instituição financeira da qual lhe forneceu a previdência, isso pode se caracterizar como uma quebra de contrato, e a multa referente a essa quebra de contrato, em muitos casos, é uma multa muito alta.

Isso talvez não aconteça tanto quando a contraparte não é uma instituição bancária, mas o principal que deve ser feito é a leitura de todos os documentos sobre o plano da sua previdência, especialmente o contrato, e independente com qual instituição você deseja fazer o seu plano previdenciário. Isso garantirá que você não terá “surpresas” caso algum imprevisto ocorra e você tenha que retirar uma parte - ou totalidade - do seu investimento.

3 - Previdência Privada atrapalha o Imposto de Renda

Outra meia-verdade. Sim, é inevitável que, ao investirmos e ao aumentarmos o nosso patrimônio em rendimentos, iremos pagar mais imposto de renda. Em relação a isso, não temos muito o que fazer.

Porém, isso não significa que a previdência privada irá ser uma vilã nas suas declarações do imposto de renda. Na realidade, ela pode te dar um benefício interessante.

Isso porque, ao escolhermos um plano de previdência privada, podemos escolher entre dois modelos: o Plano Gerador de Benefícios Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL). Os dois planos têm formas distintas de contribuições ao imposto de renda.

No caso do VGBL, o imposto de renda incide apenas em cima dos rendimentos. Já no PGBL, o imposto de renda incide sobre o patrimônio total investido. Ou seja, nos saques da previdência enquanto o VGBL terá um imposto de renda descontado apenas nos rendimentos da aplicação, o PGBL terá uma incidência de imposto no patrimônio inteiro investido.

Isso significa que o VGBL é o melhor? Nem sempre, pois quem investe em um PGBL e faz a sua declaração completa do imposto de renda pode garantir um “desconto” que pode chegar a até 12% da sua base tributária. Isso, em certos casos, viabiliza o investimento em PGBL.

CDI: entenda como ele influencia os seus investimentos

Tenha em mente que isso ocorre apenas em certos casos, e por isso mesmo, é importante que você entenda todas as características do seu plano de previdência , desde as características do seu fundo a até mesmo qual tipo de plano escolher e qual modalidade de imposto de renda escolher. Isso fará a diferença no seu futuro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.