Tamanho do texto

Os novos padrões de arquitetura e rentabilidade dos imóveis estão nos fazendo rever se adquirir um é ainda hoje uma boa opção de investimento

É de se notar a constante mudança nos cenários financeiros cotidianos. Historicamente, a mente das pessoas é composta pela afirmação: “Compre imóveis ”. 

Desde sempre, comprar imóveis é sinônimo de riqueza e de estabilidade financeira através da locação. De fato, um objeto de rentabilidade extremamente interessante. Mesmo que a liquidez não seja imediata, muitas e muitas pessoas se dedicaram à compra deste ativo para viver através da renda proporcionada pelas locações.

Mercado de capital  tem investimento que, com imóvel aplicado, gera renda mensal
shutterstock
Mercado de capital tem investimento que, com imóvel aplicado, gera renda mensal

Sim, deu certo, por muito anos.  Porém, os anos mudam...assim como o mercado financeiro, os hábitos de consumo, renda e investimento também mudam. 

Você provavelmente já ouviu o investidor moderno ir na linha oposta ao conselho das gerações anteriores: “não compre imóveis !” . Pois bem, vamos analisar essa linha de raciocínio: 

Antigamente, os imóveis possuíam metragem maiores e eram adquiridos em outros patamares de renda, financiamento e conceito de moradia. O proprietário pedia um valor de aluguel de forma que o condomínio fique por conta do locatário. Neste cenário, o mercado de capitais e investimentos não era tão amplo e as pessoas ganhavam dinheiro de forma similar com a compra e venda de veículos. Haviam boas margens para negociação no caso do pagamento à vista, por exemplo. 

Atualmente, o conceito de moradia, crédito e investimentos são totalmente diferenciados.
As pessoas não querem mais imóveis de 100 ou 200m². A criatividade dos engenheiros e arquitetos trouxe um novo conceito e, como em todas as circunstâncias, o ser humano se adapta e cria um novo padrão de vida. 

Não é necessário procurar muito para encontrar imóveis mais antigos, de ampla metragem, porém locados apenas pelo valor do condomínio. Devido ao novo conceito, o proprietário não consegue mais vender o imóvel e a saída é locar pelo condomínio para não acabar com prejuízo. 

Em contrapartida, hoje o mercado de capitais oferece investimentos que, o valor de um imóvel aplicado, pode gerar uma renda mensal e, com esta renda mensal, pagar um aluguel. A grande vantagem é que você pode possuir um valor aplicado semelhante ao valor do imóvel e ainda assim ter liquidez imediata sobre o seu dinheiro.

De quebra, se amanhã você decidir ir morar em outro estado ou outro bairro, ou até mesmo fora do país, basta entregar a chave ao proprietário e encerrar o aluguel. 

Mas tudo isso que você leu acima envolve uma palavra-chave: planejamento. Afinal, sem ele, não há como elaborar um projeto para a aquisição de um bem, seja ele imóvel ou carro, por exemplo. Além do mais, cumpre reconhecer que a maioria das pessoas precisa pagar aluguel além de poupar o valor para investir. 

No entanto, ao menos, sempre cabe a reflexão e olhar para aquela parcela que, apesar de corresponder ao valor mensal de um aluguel, poderia servir para adquirir um imóvel na planta.

Leia mais:

Sobre o caso Bettina, da Empiricus: Desconfie de quem promete um milhão

    Leia tudo sobre: casa